Acompanhe aqui:

10 de fevereiro de 2016

O dia que o Lakers quis trocar Kobe Bryant por LeBron James


O ano era 2007. O Los Angeles Lakers já vinha de três temporadas sem grandes pretensões de título. Era uma equipe comum que contava com uma superestrela chamada Kobe Bryant. Desde a saída de Shaquille O'Neal, a franquia não conseguia se colocar como um dos candidatos ao anel. Isso começou a incomodar o Black Mamba. Em um gesto de tentar mudar radicalmente as coisas, o núcleo de Los Angeles buscou um negócio... com o Cleveland Cavaliers, de LeBron James.

Pelo que relata a ESPN, fontes e pessoas envolvidas nessa história na época, houve sim o contato dos angelinos sobre uma hipotética troca envolvendo o jovem LeBron, que tinha 22 anos e acabara de sair de sua primeira NBA Finals na carreira. Primeiramente o Cavs buscou atestar a veracidade dos fatos, visto que era primeira vez que alguém ligava perguntando sobre o camisa 23. E sim, as primeiras tratativas envolviam Kobe.

Por sua vez, o time de Ohio rejeitou negociar sua principal estrela. Mas em um ato engraçadinho, disse que estava disposto a montar qualquer fórmula e envolver qualquer outro atleta do grupo que não fosse James em troca de Bryant. Obviamente o Lakers não aceitou e a conversa teve fim.

Segundo consta, o menino Mamba conta com uma cláusula em seu contrato que permite vetar qualquer negócio que não seja de seu interesse. O jogador responde que Cleveland nunca esteve em sua lista (que era Chicago Bulls, Phoenix Suns e San Antonio Spurs). Ele confirma que vetaria se as negociações estivessem avançadas. 

Ironias do destino, depois daquele ano, as finais da NBA sempre contaram com a presença de pelo menos um deles. E com certeza não ter saído do Lakers foi uma decisão sábia. Pau Gasol chegou, o time foi bem montado, a filosofia de Phil Jackson acabou bem captada e Bryant conquistou dois anéis e MVP das finais. Tudo o que ele sempre quis. 

Caras, eu adoro essas histórias. Adoro os detalhes. Adoro pensar que tudo seria diferente em uma possível troca. James em LA? Kobe em Ohio? Ou até mesmo Kobe em outra cidade... Modificaria tudo o que já presenciamos. Fica essa pulga atrás da orelha. O negócio não saiu e ambos os profissionais chegaram ao topo, de uma forma ou outra. Isso é o que importa!


2 comentários :

"Depois daquele ano, as finais da NBA sempre contaram com a presença de pelo menos um deles." Quando para pra pensar, isso é impressionante

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!