Acompanhe aqui:

23 de janeiro de 2016

A rixa entre New York Knicks e Denver Nuggets em 2006


Quando parecia que as coisas estavam entrando no eixo e a confusão entre Detroit Pistons e Indiana Pacers estava sendo esquecida (por favor, leia aqui), uma outra grande anarquia tomou conta do noticiário e novamente a liga estava sendo associada à brigas e atos violentos. É simplesmente a rixa entre New York Knicks e Denver Nuggets, em 16 de dezembro de 2006. Você não lembra ou não conhece esse caso? O PN vai tentar explicar o "Knicks–Nuggets Brawl"

Assim como briga no Palace, em 2004, o incidente ocorreu na reta final de partida. Restava 1 minuto e a parada já estava sacramentada (Nuggets vencia por 19 pontos). Em um contra-ataque puxado por J.R. Smith, Mardy Collins, que acabara de entrar (o guerreiro atuou só 49 segundos), cometeu uma falta flagrante no SG dos Nuggets. O esquentado Smith na hora levantou e foi tirar satisfações. O outro baixinho Nate Robinson tomou as dores do companheiro, se meteu e.... RAAAAAAAATINHO. Começava ali os problemas. Smith e Robinson foram parar em meio aos fãs (o que preocupou por lembrar Pistons-Pacers).

O problema é que quando os ânimos estavam sendo apaziguados, Carmelo Anthony, na época com 22 anos, deu um senhor soco em Collins A briga mudava de lado e atravessava a quadra de jogo. Os adversários perseguiram Melo, que teve os bloqueios de Nenê e Smith. Todos os presentes em quadra no exato momento que o caos foi instalado acabaram expulsos pelos árbitros. Quando a suspensão foi anunciada, sete jogadores foram penalizados e não receberam salários. Somando a penalização de cada um, foi totalizado 47 jogos e uma perda de 1 milhão e 200 mil dólares. Já chegamos lá na parte das punições...

Na época, a reação dos fãs era de indignação, é claro, porém nada comparado com o quebra-quebra em Detroit. O motivo? Não teve jogador subindo nas arquibancadas e batendo em torcedor. Mas o que foi considerado grave é que a briga foi iniciada pelos jogadores e agravada pelos próprios jogadores. Justo quando David Stern fazia campanhas para limpar o nome da liga quando o assunto era ações violentas.

Os técnicos também não escaparam de polêmicas. Isiah Thomas comandava o Knicks, George Karl o Nuggets. Jornalistas afirmavam que Isiah ficou indignado por Karl manter seus titulares em quadra até o fim, considerando uma atitude antidesportiva. Por sua vez, Karl rebateu dizendo que só gostaria de atingir uma grande vitória enquanto o Nuggets estava na estrada (era a quinta peleja seguida longe de Denver). Foi até levantado a possibilidade de Isiah tentar mobilizar os seus comandados a tomarem atitudes no estilo Bad Boys de Detroit do fim dos anos 90 (sdds).

Já taxado como estrela, o episódio caiu muito mal para Carmelo. Logo no dia seguinte, ele emitiu uma nota se desculpando com todo mundo: fãs, jogadores, NBA... Naquela temporada de 2006/2007, anotou média de 28,9 pontos e era selecionado para seu primeiro All-Star Game. Escritores o taxaram como o "cara que deu um soco e fugiu". Melo também pediu desculpas à Mardy Collins, pela atitude que só prejudicou o episódio. Ironias do destino, anos mais tarde, Melo trocaria Denver por New York e se acostumaria atuar naquela mesma arena.

As punições....

Carmelo Anthony - 15 jogos de suspensão - Perda de $640,097
J.R. Smith - 10 jogos - Perda de $126,142
Nate Robinson - 10 jogos - Perda de $107,771
Mardy Collins - 6 jogos - Perda de $49,084
Jared Jeffries - 4 jogos - Perda de $189,636
Nenê - 1 jogo - Perda de $72,727
Jerome Jones - 1 jogo - Perda de $49,091

Denver Nuggets - Punição de 500 mil de dólares
New York Knicks - Punição de 500 mil dólares

Stern afirmou: "É nossa obrigação tomar medidas fortes para evitar possíveis falhas no futuro".

Nenhum vídeo consegue mostrar as TAIS CENAS LAMENTÁVEIS com qualidade. Revirei o baú e achei um que mostrava com mais brilho. Mesmo assim, podemos acompanhar cada ocorrido naquela noite no Madison Square Garden:



Nesse vídeo, podemos ver melhor o SOCO do Melo:




0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!