Acompanhe aqui:

16 de dezembro de 2015

Dwight Howard está infeliz no Houston Rockets


A campanha negativa do Houston Rockets já colhe seus frutos: depois da demissão do treinador Kevin McHale, agora o problema no elenco é com Dwight Howard, que vem se queixando de seu papel dentro da organização. Se em 26 jogos a franquia já perdeu 14 jogos, foge totalmente do que foi ano passado: nessa mesma altura, o Rockets já acumulava uma campanha de 19 vitórias e 6 derrotas, brigando pelas primeiras posições no oeste. Para sua sorte, esse ano o oeste vem se mostrando mais fraco em relação ao leste e, mesmo diante de um record negativo, os texanos estão em 7º na classificação. O pivô vem demostrando insatisfação e pode acabar sendo trocado.

Hoje todo mundo sabe que a estrela do time se chama James Harden. O crescimento do barba não deixa dúvidas quem controla as ações no Toyota Center. Isso desagrada Howard. Segundo fontes da SheridanHoops, o pivô se encontra muito infeliz com tal situação. Infelicidade que é demonstrada nos números. Sua média de 12,6 pontos é tão pequena que só é melhor em relação a seu ano de calouro (12,0). Apesar de seguir com bom aproveitamento nos arremessos de quadra, ele só está chutando 8,3 bolas por partida. No elenco dos Rockets, é somente o quinto com mais disparos - perde para Harden (chuta 20,2 bolas por peleja), Ariza, Thornton e Jones.

E só para finalizar essa questão de importância dentro da equipe, Howard vem recebendo poucas bolas para finalizar o ataque. Seu USG% (porcentagem de jogadas da equipe, finalizadas pelo atleta enquanto ele está em quadra) é de apenas 17,5%. Nos outros anos de Rockets, seu aproveitamento foi de 24,0 em 2013/2014, e 23,3 em 2014/2015.

Está mais do que na cara que ele perdeu seu protagonismo na franquia. O pior de tudo é que ele é um jogador que, além de se desmotivar facilmente, pode desestruturar um vestiário inteiro. Uma bomba-relógio prestes explodir a qualquer momento. Quando ele desanima, perde todo aquele domínio que lhe fez virar uma super estrela dentro da liga e levar o prêmio de defensor do ano por três anos consecutivos. Ele é passivo. Aceita quieto. Demonstra sua contrariedade e desgosto dentro de quadra, não prefere buscar uma melhora e responder por lá. Não tem mais aquele desejo de "me dê a porcaria da bola e deixa eu decidir isso".

Sua chegada aos 30 anos e queda de rendimento já preocupam o núcleo do Rockets. Uma possível troca com o Miami Heat envolvendo Hassan Whiteside e Justise Winslow já foi levantada pela imprensa. A dúvida é: quem vai querer arcar com um jogador problemático de salário altíssimo (mais de 22 milhões). Para 2016/2017, ele tem Player Option e seu salário supera a casa dos 23 milhões de obamas. QUEM VAI ACEITAR? A certeza é que o general manager Daryl Morey vai precisar trabalhar muito para que esse novo problema tenha solução.

Siga o Paixão NBA no Twitter

1 comentários :

MIAMI HEAT NÃO! WHITESIDE JOGA PRO TIME E WINSLOW É UMA BOA PROMESSA! Que os Deuses do basquete não permitam que ele vá ao Heat!

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!