Acompanhe aqui:

25 de novembro de 2015

O trabalho de Bruno Caboclo e Lucas Bebê na D-League


Desde o princípio, o Toronto Raptors sempre teve cuidado com a dupla de brasileiros Bruno Caboclo e Lucas Bebê. Os canadenses já garantiram a presença dos dois para a próxima temporada e vem desenvolvendo os jogadores com muita paciência. Se hoje eles não estão com espaço dentro da rotação do técnico Dwane Casey, vão garantindo minutos e ritmo de jogo no Raptors 905, da D-League, afiliado dos dinos. Facilita muito para a franquia contar com uma agremiação na liga de desenvolvimento, possibilitando ao time enviar o atleta na hora que quiser e resgatar quando bem entender.

Hoje o preconceito com a D-League diminuiu de forma considerável. Fundada em 2001, sua tarefa é simples: desenvolver jogadores. Muitos times estão buscando atletas com potencial para compor seus elencos por lá. Nos últimos anos, cresceu o número de profissionais oriundos dessa liga. O nível segue fraco, tem muito cara lá que vai morrer jogando em busca do sonho de ser chamado por uma equipe da NBA, no entanto é inegável que o seu papel ganhou mais destaque com o passar dos anos.

Voltando a falar da dupla Caboclo e Bebê, eles estão desenvolvendo suas habilidades por lá. A ideia do Raptors é evoluir seus jovens e aproveitar todo o talento deles. Eles treinam com o grupo principal, alguns dias ficam ativos para uma partida da NBA e vão se acostumando com toda a atmosfera da liga. Para não ficarem parados, constantemente serão enviados para a liga menor.

E os números dos brasileiros são interessantes. Caboclo vem tendo mais oportunidade e tem média de 32 minutos. Ele é responsável por 14,8 pontos, 8,4 rebotes e 1,2 assistências. Sua melhor jornada foi dia 15 de novembro, quando marcou 25 pontos (10-18 FG) e 6 rebotes. Na pressa de mostrar serviço, vem forçando muitas bolas. No total, são 73 arremessos e apenas 27 convertidos (37% de aproveitamento).

Já o pivô Lucas vem sendo mais sólido: média de 9 pontos, 7,8 rebotes, 3,8 assistências e 2,75 tocos. Recentemente no dia 19 de novembro, flertou com o triple-double: 13 pontos, 9 rebotes e 9 assistências (além de bloquear 4 arremessos). O lituano Jonas Valanciunas acabou se lesionando e perderá 6 semanas. O que o Raptors fez? Chamou Lucas de volta. A tendência é que o pivô receba mais oportunidades e veja seus minutos aumentarem. Em 2015/2016, entrou em quadra apenas 2 jogos e soma um total de 5 minutos

Se na temporada Caboclo só entrou na quadra por um mísero minuto, seguirá aprimorando seus fundamentos na querida D-League. Mais forte, mais inteligente ao formato NBA e ciente do seu papel dentro da organização, terá calma para seguir trabalhando o seu jogo. Assim como Bebê, pode ser chamado a qualquer momento para voltar ao plantel dos Raptors na NBA. É uma temporada longa e todos atletas estão sujeitos a lesões. 

2 comentários :

Faça um post explicando a D-League, com nomes dos principais jogadores de lá, explicando as franquias e a quem elas são filiadas e etc, e falando claro das transmissões via YouTube, pode até acrescentar nesse post aí para quem quiser acompanhar, assim como eu, os meninos dos Raptors.

Descobri ontem que os jogos da D-League passa no Youtube,

E como o Tomas falou seria legal um post detalhando mais sobre essa liga.

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!