Acompanhe aqui:

8 de outubro de 2015

Planejamento: Os avanços do Milwaukee Bucks

Felipe Torquini (@toerquini), colaborador Paixão NBA

Quando se fala de um jovem time que começa a obter sucesso em um novo ciclo, é necessário buscar o final do ciclo antigo para entender como chegamos aqui.


2012/2013: A vaga para os playoffs e a varrida

Na temporada 2012/2013, o Bucks havia conquistado a oitava vaga para os playoffs do leste com um time comandando pela dupla Brandon Jennings (DET) e Monta Ellis (IND), com um banco liderado por JJ Redick e um garrafão formado pelo, na época, jovem e promissor Larry Sanders e o inconsistente Ersan Ilyasova. O banco ainda contava com outros ótimos jovens, como Tobias Harris e John Henson e o experiente Samuel Dalembert. Nos playoffs, Brandon Jennings converteu incríveis 30% dos arremessos, e se juntou a Monta Ellis para combinados cometerem mais de 9 erros por jogo. Um 4-0 tranquilo do Miami Heat que viria a ser campeão com LeBron James conquistando o MVP das finais além do MVP daquela temporada.

2013: Off Season

O fim do ciclo chegou e as movimentações, na época, não pareciam ser das piores. Brandon Jennings vai para Detroit, Brandon Knight e o jovem Khris Middleton vem na troca. Monta Ellis sai para Dallas enquanto OJ Mayo chega de boa fase profissional vivida em Dallas. No draft, Giannis Antetokounmpo chega após ser selecionado na 15ª escolha. Tobias Harris troca Milwaukee por Orlando. No comando da equipe, Scott Skiles é substituído por Larry Drew.

2013/2014: Catastrófica temporada regular



Larry Sanders em meses foi de futuro grande pivô e pilar defensivo de Milwaukee para um jogador com problemas pessoais e lesões. Apenas 23 vezes o pivô pisou na quadra. OJ Mayo também sofre com lesão, 55 jogos na temporada e um desempenho muito abaixo do apresentado pela equipe do Texas. A bagunça era tão grande que 9 jogadores atuaram mais de 20 jogos como titular e 14 mais de 12 jogos como titular. 

Ersan Ilyasova teve uma de suas duas piores temporadas na vida per 36 minutes e novamente “flopou”. Até hoje, se espera algo dele que provavelmente nunca vai acontecer. Giannis Antetoukoumpo foi a luz do Bucks. Não fez uma grande temporada em números, mas demonstrou do que era capaz de fazer em um futuro não tão distante. Brandon Knight e Khris Middleton mostraram serviço também, o sophomore anotou mais de 12 pontos por noite com 44% de acerto e jogando 30 minutos. John Henson acabou ganhando minutos, mas não o suficiente, assim como não teve a sequência que deveria ter e que até hoje ainda não teve. 

Coletivamente, o Bucks conseguiu ser a pior defesa da NBA e o quarto pior ataque, amargando uma campanha com apenas 15 vitórias e sendo a pior equipe da temporada. Larry Drew realmente não conseguiu fazer este conjunto jogar.

2014: Draft e Off Season



O melhor draft dos últimos anos. Andrew Wiggins, Jabari Parker, Joel Embiid, Julius Randle, Marcus Smart, Aaron Gordon e outros tantos jogadores falados. O Bucks acabou ficando com a segunda escolha e após Andrew Wiggins ser escolhido na primeira escolha pelo Cleveland Cavaliers, a franquia de Milwaukee foi com o ala Jabari Parker. No comando, Larry Drew sai e vem do Brooklyn o jovem Jason Kidd. Jared Dudley deixa o Clippers e se apresenta em Milwaukee também.

2015: A volta aos playoffs

A equipe começou a temporada com Knight, Middleton, Giannis, Jabari e Zaza/Larry e novamente sofreu com muitas lesões. Após 25 jogos, Jabari Parker acabou se lesionando (torn acl) e ficando de fora de toda sua temporada de novato.



Até a lesão de Parker, o ala dispontava na frente na disputa de novato do ano junto com Andrew Wiggins que viera a ganhar depois tendo um upgrade grande durante a sua temporada. Naquele momento, Milwaukee tinha 13-12 como campanha, o que é suficiente para ir com tranquilidade aos playoffs do leste. No entanto, Jason Kidd encontrou muitas formas de superar esta perda, começando com uma defesa bem montada, que ao final da temporada terminaria como a quarta melhor da temporada e sendo o time que mais forçou os adversários a cometerem turnovers durante os jogos, após ser a pior da temporada 2012/2013 e uma das piores forçando erros com o técnico Larry Drew.

Brandon Knight se encontrou com a equipe. Até o armador ser trocado, o Bucks possuía uma campanha de 30 vitórias e 23 derrotas, contudo, ele acabou sendo envolvido em uma negociação onde Michael Carter-Williams acabou sendo o novo point guard de Milwaukee. Até hoje não entendo. Com MCW a equipe perdeu espaçamento e força ofensiva e ganhou mais força defensiva, todavia sua aquisição não pareceu até hoje um upgrade. Jogando com ele, o Bucks obteve 11 vitórias e 18 derrotas.

Ofensivamente, o Bucks teve em Knight, Mayo e Middleton maneiras para pontuar de longe do jeito que dava. Sem o armador, a equipe passou a ter sérios problemas de pontuação. Giannis com seus braços gigantes não é uma arma confiável se estiver longe da cesta. A dupla Antetoukoumpo e Williams juntos chutaram 14% de 3 pontos pela equipe de Kidd. O problema ofensivo chegou ao limite nos playoffs, onde a equipe logo na primeira rodada enfrentou a boa defesa que Thibs comandava em Chicago. Os meninos de Milwaukee perderam em 6 jogos a série, onde na sexta partida apenas 66 pontos foram marcados contra o Bulls.

Contudo, a temporada foi de certa forma até milagrosa. Jason Kidd ficou entre os cinco melhores treinadores da temporada certamente e a equipe passou de pior da NBA para uma que possa brigar por mando. E o melhor detalhe é que, tudo isso aconteceu sem Jabari Parker. Como problema da season, ficou a incerteza de como será a equipe com Michael Carter-Williams.

2015: Off Season e Draft

Para começar, o novo GM da equipe é Jason Kidd e para resolver o problema do Bucks de pontuar e espaçar a quadra a solução foi Rashad Vaughn no Draft. O ala-armador tem a mão nervosa e pode já de cara contribuir para o elenco. Na Summer League o jogador anotou mais de 17 pontos por jogo, entretanto seu chute longo não foi muito bem executado. Ainda tentando resolver o problema ofensivo, Milwaukee foi atrás do PF/C Greg Monroe.

Números de Monroe: facilidade de pontuar de diferentes pontos do garrafão
Greivis Vasquez e Chris Copeland também se juntam nessa temporada. O Bucks tem condições de brigar até por um mando de quadra no leste, caso as coisas continuem dando certo e os jogadores evoluindo. O alerta sobre Michael Carter-Williams deve seguir ligado.

Siga o Paixão NBA no Twitter

1 comentários :

TOBIAS HARRIS FOI TROCADO PELO JJ REDICK ENTÃO N JOGARAM JUNTOS

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!