Acompanhe aqui:

27 de setembro de 2015

Chris Bosh revela detalhes sobre sua doença


Pesquisa PN: Queremos saber a maior torcida da NBA no BR

No dia 20 de fevereiro foi noticiado que o ala-pivô Chris Bosh estava com embolia pulmonar (leia mais). Após uma consulta com médicos, o jogador do Miami Heat ficou sabendo estar com coágulos de sangue em seu pulmão. Precisou ir direto para o hospital. Seis meses depois de sua alta, Bosh recebeu jornalistas da Sports Illustrated para falar um pouco sobre o problema, sua recuperação e o futuro na NBA.

Descansado em sua mansão em Los Angeles (que é tão afastada que nem pega sinal de celular) e totalmente recuperado, comentou algumas coisas que fez nesse meio tempo em que se recuperava, entre elas aprender espanhol, tocar violão, provar cervejas artesanais, culinária, praticar caminhadas., etc.

Os problemas começaram aparecer em janeiro, quando Bosh iniciou uma série de queixas de dores no lado esquerdo de sua caixa torácica, uma dor que se assemelha à câimbras. Um teste realizado para buscar o real motivo das dores revelou uma lesão muscular intercostal, forçando uma visita a um quiroprático. Mesmo diante de todas essas dores, Bosh sabia que não podia abandonar a equipe, visto que os companheiros de time, Dwyane Wade e Luol Deng, estavam lesionados. Era tudo com ele. Ao marcar 34 pontos contra o Pistons, o ala-pivô sofria para respirar. Quando anotou 32 pontos contra o New York Knicks, se contorcia de dores nos pedidos de tempo.

Certa noite, ao sair da American Airlines Arena, Bosh estava se apoiando em uma parede do estacionamento da Arena, e o técnico Erik Spoelstra, assistindo aquela cena, perguntou se tava tudo ok. Bosh respondeu que estava apenas recuperando o fôlego após uma partida. A All-Star Weekend de New York passou e durante as breves férias que os jogadores tiveram, Bosh sentiu fortes dores novamente e precisou viajar para Miami, indo direto ao hospital. Foi aí que os doutores diagnosticaram coágulo de sangue em seu pulmão, que, segundo eles, foi originado por uma lesão na perna esquerda dois meses antes.

Imediatamente o jogador avisou sua mulher à respeito do problema, que correu para a internet pesquisar casos semelhantes. O primeiro artigo que veio na tela foi o caso do ex-jogador do Portland Trail Blazer, Jerome Kersey que morreu em decorrência dos mesmos problemas nos pulmões que Bosh vinha passando.

Nas primeiras 36 horas no hospital, Bosh temeu por sua vida, até que a equipe médica o tranquilizou dizendo que os anticoagulantes estavam fazendo efeito. Aliviado, sua preocupação foi saber se ele ainda poderia seguir com sua carreira profissional no basquete. Aquela altura, ele sabia que a temporada já tinha ido ao espaço, no entanto precisava saber se sua condição era hereditária. Durante a recuperação, Bosh disse que muita gente achou que se tratava "apenas" de um coágulo de sangue, no entanto esses coágulos produziram uma reação muito adversa e aquele liquido precisava sair. Foi aí a parte mais complicada, onde precisou ficar quatro dias com tubos em seu peito.

Mês a mês, o camisa 1 do Miami Heat pensou muito sobre a vida e fez diversas reflexões na condição de ser-humano: "Quem somos? Aonde vamos? Aonde queremos ir?". Seu futuro no basquete ficou ameaçado e, mesmo sofrendo esse duro golpe, terminou a entrevista dizendo: "Dane-se, eu sou um jogador de basquete". Volte bem, CB!

Siga o Paixão NBA no Twitter

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!