Acompanhe aqui:

26 de fevereiro de 2015

A depressão força Larry Sanders se afastar da NBA


O talento nem sempre prevalece nessa liga. Se você tem o potencial para se destacar, mas uma cabeça que não ajuda, complica e tudo vai para o ralo. É o caso de Larry Sanders, ex-jogador do Milwaukee Bucks que assinou sua rescisão de contrato e que deve dar um tempo no basquete. O motivo? Depressão. O jogador foi pego constantemente no exame anti-drogas que a NBA realiza. A última punição foi uma suspensão de dez jogos sem receber salário.

Com 26 anos e uma vida inteira pela frente, Sanders postou um vídeo no Youtube dizendo algumas palavras explicando seus motivos por essa retirada tão precoce. Ele diz que está seguindo o seu testemunho, de nunca perseguir o objetivo de ganhar muito na vida. Completando, o pivô afirma que seguirá sua intuição e se afastar do basquete nesse exato momento (salientando uma possível volta no futuro). Isso é nada mais que seu propósito de vida.

Agora entra em ação o Larry Sanders pessoa, pai, artista e escritor. Ele deixa para trás um contrato de 44 milhões em 4 anos com os Bucks e deixará o esporte em segundo plano. O que mais choca é ver sobre como ele fala sobre o vício na maconha, afirmando que em muitas ocasiões teve que se refugiar na droga (para fins medicinais) para conseguir lidar com a pressão. Justo Sanders, um cara que se intitula de natureza tranquila e paciente.

Hoje ele está no mercado como agente livre e pode assinar com qualquer time da NBA (e do mundo, é claro), porém o basquete não é algo que desperta o seu interesse. Apesar de todo o talento, ele não consegue mais equilibrar sua mente com a vida pessoal e as obrigações da liga (pressão à todo instante). 

Selecionado na 15ª escolha do Draft de 2010, o jogador nascido na Flórida só atuou pelo Milwaukee Bucks. Nunca foi de jogar muitos minutos, entretanto sempre tinha uma importante colaboração. Foram 6,5 pontos, 5,8 rebotes e 1,8 toco de média em 19,8 minutos na sua trajetória.

Torcemos aqui para sua recuperação e que logo ele vença essa batalha contra a depressão. Pelo visto, vai se agarrar em coisas que lhe agradam e que são fundamentais em sua vida (família, família e família) e vai tentar vencer sua mente que, hoje, está o colocando para baixo. Fique bem, Larry!

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!