Acompanhe aqui:

4 de outubro de 2014

Os motivos e os segredos do Toronto Raptors escolher Bruno Caboclo


Um dos grandes feitos de Masai Ujiri, gerente das operações de basquete do Toronto Raptors, foi conseguir esconder Bruno Caboclo do radar de todos os times da NBA. Pegando todos de surpresa, a franquia canadense causou um grande choque quando selecionou o brasileiro de apenas 18 anos. Por desconhecimento da maioria dos jornalistas que cobrem a NBA, recebeu o seguinte comentário: está a 2 anos de estar 2 anos pronto para a liga. Mas Masai sempre bancou Bruno, e agora vamos tentar entender os motivos dessa escolha.

Como esconder um brasileiro cheio de potencial? As equipes contratam (e pagam caro) olheiros para vasculhar o planeta em busca de novos talentos que poderiam ser desenvolvidos e atuar no melhor basquete do mundo. Como os Raptors manteve Bruno, ala do Pinheiros, equipe do Brasil, próximo país a sediar as Olimpíadas, longe das atenções dos olheiros?

Em tempos de redes sociais, as informações chegam muito mais rápido. Mas dessa vez os canadenses foram perfeitos. Conheceram Bruno muito cedo e logo trataram de analisá-lo em todas as competições que atuou. A ideia foi trabalhar com calma. Em conversas com o Pinheiros e o agente do atleta, foi conversado para manter o interesse longe da mídia. Permanecer quieto: esse foi o segredo. Enquanto sites/blogs da NBA não citassem o nome Bruno Caboclo, ele não estaria evidente, muito menos receberia a sondagem de uma franquia.

Todos sabem que o foco principal dos Raptors era Tyler Ennis, um jovem armador. Ujiri nunca escondeu que esse era o plano A naquela noite de 26 de junho. O pensamento era pegar Bruno na segunda rodada do Draft. Seria perfeito. Mas o Phoenix Suns escolheu Ennis na 18ª escolha, e forçou os Raptors a tomar uma enorme decisão: arriscar esperar por Bruno e perdê-lo ou agir na hora?

O trabalho em cima do brasileiro não seria jogado fora. Bruno Caboclo foi a bola da vez, espantando todo o público no Barclays Center. Quebrava as projeções de Draft, forçava os jornalistas a folhar suas anotações, e Adam Silver pronunciar "Bruno Cabolou". Amigos do PN, até o pessoal da mídia social dos Raptors não tinha ABSOLUTAMENTE nada pronto para falar sobre a escolha feita.

Os jornalistas criticavam a escolha, faziam até piadas. Mas lá estava Dwyane Casey, técnico da equipe rasgando elogios: "Bruno é um fenômeno atlético. Na 20ª escolha, você não está procurando um jogador perfeito, mas esse jovem tem a chance de crescer. Ele é cru, mas terá um programa para se desenvolver no nosso sistema, crescer e fazer um monte de coisas para nós. Defensivamente ele é longo, 'abrange um lote de terreno', bloqueia arremessos com o seu comprimento. Fomos todos acompanhar ele no treino e ficamos impressionados. Estamos muito animados,"

Manter as coisas escondidas. Ujiri havia encontrado o seu diamante bruto. Pode dar errado, Caboclo não conseguir se adaptar ao estilo NBA, porém os Raptors farão de tudo para transformá-lo em um jogador útil na rotação. Eles fizeram tudo certo no processo de seleção: desde ir ao Brasil, de manter segredo, de bancar a escolha dele após a frustração com Ennis... a imprensa pode estar certa e ele só começar a desenvolver com 22 anos (2 anos após estar 2 anos prontos), mas os canadenses, com seus trabalhos especiais e individuais, apostam em Bruno. Sucesso à ele!

2 comentários :

O "Brazilian Kevin Durant"!
Boa sorte a ele, tomare que dê certo!
Torcida com certeza não irá faltar!

Espero que o Caboclo tenha uma ótima carreira. Nos treinamentos, nota-se que ele é o último a sair da quadra. Está inerente ao que lhe está proposto: dar o máximo para alcançar seus companheiros em um nível avançado, para assim ajudar o Toronto Raptors... Obs: Nesta terça-feira, ele fez 6 pts em 14 min de quadra, tendo aproveitamento de 2/2 bolas de 3 pts... Certamente irá ganhar mais alguns minutos para mostrar serviço nos próximos jogos...

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!