Acompanhe aqui:

16 de outubro de 2014

O retorno de Danilo Gallinari


Felipe Torquini (@toerquini)

O Denver Nuggets fazia sua melhor campanha em uma temporada regular na história da NBA, batia recordes de vitórias em casa após há alguns anos atrás, trocar Carmelo Anthony. Nessa troca, alguns valores não tão valorizados chegavam em Denver. Um deles: Danilo Gallinari. O ala italiano anotava pouco mais de 16 pontos por noite a cada 32 minutos que jogava, seu melhor desempenho ofensivamente desde que entrou na liga. Per 36, eram 18 pontos.

Após 70 partidas jogadas na regular season, o time já estava se preparando para os playoffs com o mando de quadra, aguardando o adversário. No jogo 71, o Denver recebeu o Dallas Mavericks em casa, Gallo sente uma lesão e é retirado imediamente de quadra. Não demorou muito para explodir nas redes sociais que o italiano teria rompido os ligamentos do joelho e que estaria fora da temporada, dos playoffs e ainda de uma parte do início da outra temporada. Foi confirmado, ACL. O tempo normal de recuperação desta lesão é entre 8 e 10 meses. O Nuggets acabou sendo eliminado já na primeira rodada pelo Golden State Warriors mesmo com o mando de quadra. O italiano fez falta e fez mais ainda na temporada seguinte quando Andre Iguodala deixou o time.



Criou-se muita expectativa para a volta do italiano. Falaram em dezembro, janeiro, fevereiro, março, abril. Até que se confirmou que ele só voltaria as quadras na pré-temporada de 2014/2015. Uma temporada fora. 18 meses sem jogar. Aos poucos, notícias começavam a sair no início de 2014 que ele já estava voltando aos treinos. Primeiro corridas, depois arremessos, até que dia 22 de maio a conta oficial do Denver Nuggets no vine publicou isso:


Danilo já estava enterrando. Ele estava totalmente preparado para a próxima temporada.

A temporada estava complicada para o time das montanhas. Wilson Chandler não conseguiu substituir Gallinari com o que se esperava dele. Randy Foye como ala-armador titular do seu time é uma coisa muito deprimente para todo torcedor, como eu sou, aturar por uma temporada inteira. Nate Robinson e Ty Lawson davam a graça da equipe nos jogos. No garrafão, JaVale McGee ficou fora de quase toda a temporada e Mozgov acabou aparecendo e indo bem, sendo até uma certa surpresa. Kenneth Faried foi abaixo do que se esperava. Conseguir uma vaga nos playoffs nunca foi uma grande realidade para a equipe. Aaron Afflalo (de volta a Denver), Gary Harris e Jusuf Nurkic chegam nesta temporada para tentar melhorar as coisas.

A expectativa da volta do italiano estava forte por parte dos todos os torcedores. Nos primeiros jogos ele acabou ficando de fora, até que ele finalmente apareceu, vindo do banco, dia 10 de outubro de 2014 contra o Phoenix Suns. Apenas 14 minutos, todos no primeiro tempo. O suficiente para ele fazer uma bela exibição e deixar 17 pontos no jogo.


A volta dele significa mais que o retorno de um dos jogadores mais queridos por todos os torcedores. Significa mais para o time, ter um dos principais jogadores do elenco em quadra. Para a torcida, uma das principais referências em quadra. Um jogador que quando recebe a última bola do jogo, mesmo que erre, recebe o perdão de todos que estão na arena. É muito bom ver você de volta, Gallo!

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!