Acompanhe aqui:

22 de agosto de 2014

O Mario Chalmers não é ruim


Quem conhece o Paixão NBA, sabe que o blog busca muitas informações, faz a cobertura total da liga com seriedade, mas sempre tem aquele leve toque de humor. Se é para ser um robô em meus comentários tanto no blog como no twitter, eu nem seguia mais com o trabalho. Enfim, nessas brincadeiras temos sempre nossos alvos favoritos: Fab Melo e sua linda trajetória na NBA, os joelhos do Dwyane Wade e do Derrick Rose, o mito Brian Scalabrine, Oscar e sua relação com Nenê, e agora MARIO CHALMERS!

Suas atuações nas finais de 2014 foram tão abaixo de qualquer crítica que o armador de 28 anos do Miami Heat ficou marcado de forma negativa. Sucessivos turnovers, escolhas equivocadas, pouca produção no ataque e facilmente dominado pelos adversários fez Chalmers ser alvo de um caminhão de piadas. Aí eu pergunto: será que o cara é tão ruim mesmo?

Apesar de brincar demais com ele, eu respondo: o cara não é ruim. É a mais pura verdade, senhores. O cara é duas vezes campeão! "Ah, mas campeão até o Ronny Turiaf é". Sim, mas o Chalmers foi campeão sendo extremamente importante. Não vou comparar ele com as atuações de John Paxson e sua importância naquele Chicago Bulls de Jordan e Pippen, porém a verdade tem que ser dita: quando o Chalmers jogou para valer e não foi o Chalmers 2014, o Heat alcançou o sucesso. Quando ele esteve abaixo, o time sofria. Não concordo com muitas coisas que o Agra e o Zé Boquinha falam nas transmissões da ESPN, entretanto eles sempre batiam nessa tecla e eu concordo.

Desde que assumiu a posição de armador titular do Heat, Chalmers apresentou boas médias de pontos. "Ah, jogando com o LeBron, Wade e Bosh até eu brilho". Ok, só que vale lembrar que LeBron e Wade faziam o papel de armador quando estavam na quadra. A bola ficava mais nas mãos das estrelas do que com o pobre menino 'Chalmis'. Em 2014, suas médias foram de 9,8 pontos e 4,9 assistências. 

No primeiro título da carreira, sua média de pontos foi de excelentes 11,3 por jogo na pós-temporada (além de 3,9 assistências e 3,7 rebotes). No segundo tempo, ele contribuiu com 9,4 pontos e 3,1 assistências (seus minutos caíram de 35 para 28). Não estou aqui fazendo o papel de advogado do diabo, mas apenas lembrando que esse pobre jogador tem seus créditos. O Miami Heat reconhece e ampliou seu contrato com a organização. Pela história, merecido.

Chalmers, meu querido, o Paixão NBA seguirá fazendo algumas piadas com o seu nome, porém sabemos que o que você já fez ninguém apaga. Esse post é a prova viva. E se der, vou buscar um autografo seu no NBA Global Games e guardarei como uma grande recordação. 

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!