Acompanhe aqui:

12 de agosto de 2014

Jeremy Lin chega no Los Angeles Lakers sem pressão. Vai aproveitar a chance?


Todo mundo aqui sabe a história do menino Jeremy Lin. Saiu da universidade de Harvard (!!) para jogar pouco e ser dispensado pelo Golden State Warriors. Assinou com o New York Knicks, explodiu e iniciou a LINSANITY. Pela equipe de New York, atuou na parte final da temporada e anotou médias de 14,6 pontos e 6,2 assistências. O Madison Square Garden fervia. A sua camisa era a segunda mais vendida entre todos os atletas da NBA. No auge de suas partidas foram do comum, Lin foi eleito o jogador da semana. Explodiu mesmo!

Como o contrato com os Knicks era de apenas 1 ano, ele já virava agente livre. E dos cobiçados. O dinheiro falou mais alto e o nerd do barulho se mandou para o Texas, armar as jogadas no Houston Rockets. O problema é que todos esperavam o Jeremy Lin do New York Knicks. O Lin que pegou um Knicks de Mike D'Antoni desanimado e deu alegria aos torcedores. Com toda a sua expectativa, a crítica caiu em cima após não conseguir ser regular em Houston. Mesmo assim, atuando em TODOS os jogos da temporada 2012/2013, o armador teve médias razoáveis de 13,4 pontos e 6,2 assistências.

Na última temporada, Lin perdeu espaço e virou rotina assistir o início dos jogos no banco de reserva. Nas 71 partidas que atuou, ele se fez presente no quinteto titular apenas em 33. Médias lá em baixo? Não. Lin anotou 12,5 e 4,1 assistências. Agora ele vai para o Los Angeles Lakers, outra franquia que a camisa pesa muito. Como será o seu comportamento?

Eu confesso que aguardo coisas boas. O problema é que todos sempre esperam o Lin da LINSANITY! Por mais que fique com dois dígitos na média de pontos, contribua com cestas importantes e faça seu trabalho da melhor maneira, Lin será cobrado por atuações iguais as do tempo de Knicks. O povo quer ver ele virando jogos, quer ver cestas vencedoras e por aí vai. Coisa de fanáticos.  Mas esqueçam. Ele não é craque, no entanto não pode ser descartado neste momento da carreira. Será reserva do veterano Steve Nash e, se acontecer o que aconteceu em 2013/2014, terá diversas oportunidades para mostrar seu valor. Em fim de carreira, Nash seguirá tendo problemas de lesão e cederá minutos à Lin. Caberá ao armador agarrar as chances e mostrar que ainda serve. 

Para finalizar, ele terá a sorte de atuar em uma das franquias que mais atraem o público, independente do momento que esteja. E por a equipe passar por dificuldades, ele não terá toda a pressão e qualquer lampejo vai enlouquecer a torcida. A sorte pode estar ao lado de Lin. Ele aproveitará? Outubro a história começa a ser desenhada.

Ah... e para matar a saudade:

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!