Acompanhe aqui:

29 de agosto de 2014

Agora o papo é Copa do Mundo de basquete


Agora o assunto é Copa do Mundo de Basquete. A partir desse sábado, na Espanha, começa o torneio que será o centro das atenções nas próximas duas semanas. São 24 seleções divididas em quatro grupos, e todas com um só objetivo: estar em Madrid, no dia 14 de setembro, para a disputa da grande final. No total, a NBA terá 49 representantes e mais outros 20 atletas que já tiveram o privilégio de atuar na liga.

Recentemente fiz uma participação no blog do amigo Erick, o EQ Sports News Br falando sobre o que espero da seleção brasileira nesse Mundial. Vamos sempre frisar que só vamos participar por causa do sagrado convite FIBA que custou caro para a nossa querida Confederação Brasileira de Basquete. O papelão da Copa América segue viva em nossas memórias (dos jamaicos, urugauios também...);

Naquela oportunidade, nossas estrelas, cansadas após uma exaustiva temporada na NBA, pediram dispensa. Agora estamos completos. Rubén Magnano tem a disposição aquilo que ele tem de melhor no momento. Com uma boa preparação, testando todos os jogadores, fazendo amistosos contra equipes de alto nível, chegamos para a Copa do Mundo com confiança e certos de que podemos ir longe. Entretanto, temos que ter muita calma nessa hora. O jornalista Marc Stein, da ESPN americana, colocou o Brasil no top 3 para o torneio. Segundo ele, nossa equipe só fica atrás dos Estados Unidos e da Espanha. Será mesmo?

É nítido que temos um dos melhores garrafões do MUNDO. É excepcional saber que temos um campeão da NBA como o Splitter e dois monstros chamados Anderson Varejão e Nenê Hilário. E para nos deixar ainda mais animados, Rafael Hettsheimer jogou bem em todos os amistosos preparatórios, abusando, inclusive, das bolas de três (o aproveitamento impressionou todos); O problema é nosso perímetro. Temos jogadores que alternam muitos altos e baixos. Marcelinho Huertas é considerado para alguns jornalistas o melhor armador FORA da NBA (atua no Barcelona). Temos o sempre ágil Leandrinho Barbosa (precisa ser mais consistente), além de contarmos com Marquinhos e Alex. No banco, temos a entrada de Larry Taylor e Raulzinho

O Brasil mostrou momentos mágicos em seus amistosos, porém sofreu com os famosos apagões. É do basquete esses momentos de oscilação? É. Mas o Brasil sofreu blecautes. Tudo dá errado, a bola não cai, erros juvenis aparecem e, todo aquele basquete maravilhoso some e dá lugar a incertezas. 

Nosso grupo tem França, Egito, Sérvia, Espanha e Irã. A estreia acontece contra o desfalcado mas ainda forte time francês às 13h (horário de Brasília). Não preciso nem dizer que o PN estará fazendo a cobertura total desse jogo. Todo o aquecimento até as declarações no pós-jogo (siga @paixaonba)

Eu confio demais nesse Brasil de Magnano. Sou otimista e creio que os apagões e crises emocionais ficaram lá na preparação e, a partir do momento que a delegação pisou em Granada, tudo mudou. Vamos fortes. A imprensa nos vê com bons olhos, um olhar de "ei, o Brasil voltou a ser uma força no basquete". Isso, de uma forma ou outra, intimida o adversário. Ganhamos respeito. Não espero medalha, mas espero um top 5, chegar nas quartas-de-final e depois o que vier é lucro. Se tudo funcionar e os deuses do basquete reservarem algo especial para o Brasil, aí sim podemos pensar grande, entretanto vamos com os pés no chão.


A ESPN e o Sportv são os canais brasileiros que vão transmitir a competição. Espero do fundo do meu coração que as emissoras deem o devido respeito para esse Mundial e arrebentem em suas coberturas. Nós, amantes do basquete, agradecemos!

30/08 - Brasil x França - 13h 
31/08 - Brasil x Irã - 13h 
01/09 - Brasil x Espanha - 17h 
03/09 - Brasil x Sérvia - 13h 
04/09 - Brasil x Egito - 10h30

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!