Acompanhe aqui:

19 de julho de 2014

A participação do Brasil na Summer League


E terminou a participação do Toronto Raptors na Summer League de Las Vegas. Mesmo alternando entre altos e baixos, foi positiva a participação da franquia canadense, que contou com muitos nomes desconhecidos. O Brasil esteve representado por Bruno Caboclo, Lucas Bebê e Scott Machado. Foram cinco partidas, duas vitórias e três derrotas.

Os Raptors tinham um propósito nessa competição: analisar certos jogadores para poder aproveitar no elenco principal. Não quis contar com alguns atletas que já tiveram contato direto com o profissional. O mais bacana é que a principal figura era Bruno, que chocou boa parte da imprensa ao ser selecionado na primeira rodada do NBA Draft. A surpresa foi tão grande que Adam Silver nem conseguiu decorar a tempo o nome, e disse: "Bruno Cabolou". Bancado pelos executivos, Caboclo chegou com status de "Kevin Durant brasileiro". O porte físico e a facilidade para arremessar de longa distância realmente chamam a atenção.

Com toda essa expectativa, Bruno ganhou muito destaque nas transmissões da NBA TV, seus lances ganham mais ênfases nos melhores momentos... todo mundo quer conhecer esse jogador que veio do Pinheiros. Nesses cinco jogos, Caboclo anotou 11,4 pontos, 3,0 rebotes de média, além de 39,5% de aproveitamento nos arremessos de quadra. O que mais impressionou foi a facilidade de arremessar e se movimentar. Bruno é muito rápido e consegue fazer um jogo de transição excelente. O que não gostei foi os chutes forçados, porém isso é natural. Na NBA, ele vai se adaptar e saber a melhor hora de efetuar o chute. Eu realmente acredito que Bruno vai ter espaço nesse elenco. Com uma equipe inteira dando suporte ao ala, seu jogo vai evoluir e ele poderá ser importante em alguns anos na franquia. Não esperem um ano fenomenal. Nota 7.

Partindo do Bruno vamos até o Lucas. Os Raptors anunciaram que vão pagar a multa de Bebê com o Asefa Estudiantes e o pivô vai estar no elenco para a temporada 2014/2015. O que vi no Lucas foi uma preocupação no jogo defensivo. A média de arremessos por jogo foi de 3 (aproveitamento de 53%). Na defesa, Bebê procurou os rebotes e se preocupou em defender a cesta de qualquer forma. Sua participação na Summer League de 2013 é lembrada pelo festival d tocos quando ainda atuava pelo Atlanta Hawks. A média do pivô foi de 5,0 pontos, 5,8 rebotes e 0,6 blocks por jogo. Uma nota 6, passa de ano sem recuperação e garante vaga no time principal. Bebê vai aprender muito com o pessoal do garrafão dos Raptors.

Scott Machado não aproveitou a chance de mostrar serviço e conseguir contrato. Ele atuou em apenas 3 jogos (em 2 sequer pisou na quadra) e se despede da SL com 1,7 pontos, 1,7 rebotes e 1,0 assistência de média. Ele não acertou arremessos de quadra: 0-9. Seus pontos saíram através de lances livres. Está cada vez mais complicado para Machado achar uma equipe na NBA. Eu acho o mais prudente ele seguir na D-League, desenvolver o seu jogo e buscar alternativas na Europa. Não descarto nem NBB. Nota 3.

Você concorda? Comenta aí o que você achou da participação dos brasileiros na Summer League. 

3 comentários :

Considerando q o Bruno tem 18 anos ele terá mto tempo para evoluir na NBA.

O próprio Tiago Splitter, então MVP na Espanha, sofreu no seu primeiro ano. Com calma e um bom suporte ao lado, hoje é titular de uma grande franquia e CAMPEÃO da NBA.

Nem todos tem Popovich como treinador.
Mas concordo! Ele é muito novo, nos primeiros anos grandes lições, depois vai muito da força de vontade, dedicação e profissionalismo, no resto Bruno poderá gerar grandes frutos a sua franquia e a seleção!

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!