Acompanhe aqui:

3 de junho de 2014

Mark Jackson teria recusado Jason Collins por sua opção sexual


Segundo os portais americanos,  Mark Jackson, recentemente demitido pelo Golden State Warriors e atual comentarista da ESPN, vetou a contratação do pivô Jason Collins quando o atleta era agente livre e poderia acertar com a franquia de Oakland. O motivo? Incompatibilidade com suas crenças religiosas e opção sexual do jogador.

Quando questionado sobre a possível assinatura de Collins, Jackson disse que em seu vestiário não teria espaços para o jogador. "Eu sou um cristão e sirvo a Deus, que também lhe dá a liberdade para decidir a sua vida. Como cristão, eu tenho crenças do certo e errado.", disse o ex-comandante. 

Aos 35 anos de idade, Jason Collins se tornou o primeiro atleta homossexual assumido a atuar nas grandes ligas americanas. Sua coragem possibilitou a abertura de várias portas fechadas no esporte norte-americano. Mesmo sem fechar com os Warriors, Collins acabou sendo chamado pelo Brooklyn Nets para um contrato de 10 dias (prorrogado para o restante da temporada).

Há quem diga que, além da eliminação nos playoffs, esse preconceito de Jackson foi um dos motivos de sua demissão pelos executivos da equipe. O ex-comentarista da TNT, Steve Kerr, foi o contratado para o comando técnico.

Em 735 jogos da NBA, Collins tem média de 3.6 pontos e 3.7 rebotes por jogo. Ele assumiu ser homossexual em abril de 2013 (leia aqui). Em sua breve passagem no Brooklyn Nets, ele atuou em 22 partidas e marcou apenas 1.1 ponto e 0.9 rebote de média.

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!