Acompanhe aqui:

14 de maio de 2014

Chris Paul erra, Russell Westbrook decide, árbitros aparecem... o final de jogo surreal


O final de jogo entre Los Angeles Clippers e Oklahoma City Thunder vai dar muito pano pra manga. Tudo porque um lance envolvendo a arbitragem e o uso da tecnologia determinou uma posse de bola nos segundos finais. E custou caro.

Na reta final de jogo, o Clippers tinha uma belíssima vantagem e já administrava para não correr riscos. No entanto, com as explosões de Kevin Durant e Russell Westbrook, o Thunder voltou para o jogo. Em contra-ataque, o MVP deixou a diferença em míseros 2 pontos. Na reposição de bola, Chris Paul se enrolou todo e entregou a bola nas mãos de Reggie Jackson, que imediatamente atacou a cesta. O armador procurou o contato em Matt Barnes, porém a arbitragem marcou fundo bola. E aí, bola de quem?

As três "zebras" se reuniram e assistiram de forma exaustiva o replay. O lance mosta claramente que Jackson é o último a tocar na bola, ou seja, bola pro Clippers. Mas o replay mostra também que Barnes cometeu falta, entretanto como a infração não foi marcada no ato, os juízes NADA podem fazer. Em suma, o auxílio do replay seria apenas para terminar quem foi o último a tocar na bola.

A bola é dada ao Thunder, que, com Russell Westbrook, sofre falta para três lances livres (cometida pelo experiente CP3). Com sangue frio, Westbrook converte todos e vira a partida. O Clippers, que tinha tudo para quebrar o mando de quadra e ir para Los Angeles com a faca e o queijo na mão, se viu obrigado a acertar uma cesta para ganhar. Mas Chris Paul comete outro turnover e a vitória fica com os donos da casa.

Senhores, foi surreal o que aconteceu na Chesapeake Energy Arena. Quando restavam 49 segundos, a vantagem da equipe de Doc Rivers era de confortáveis 7 pontos. Não gosto de falar da arbitragem, mas me revoltou o fato do auxílio da tecnologia estar lá para facilitar e mesmo assim os erros permanecem. A decisão de dar a bola ao Thunder começava a matar o Clippers.

No entanto, temos que destacar toda a maestria do time de Scott Brooks, que em nenhum momento desistiu da vitória. Russell Westbrook teve noite quase perfeita (teve aqueles famosos turnovers) e supriu a noite apagada do companheiro Kevin Durant. Outro ponto a ser destacado é o Chris Paul, que estava sendo o herói e viu o mundo desabar com seguidos erros no final. Na coletiva de imprensa, o armador estava visivelmente arrasado.

Agora a série retorna para Los Angeles. A franquia de Oklahoma precisa apenas de uma simples vitória para garantir a passagem às finais do oeste. Os Clippers estão na mesma situação de 2006, quando perderam o jogo 5 para o Phoenix Suns e precisou vencer em casa para se manter vivo. Na ocasião, os comandados de Mike Dunleavy perderam a série no jogo 7, disputado no Arizona.

Foi uma partida espetacular, mas que será lembrado pelos erros das zebras. Infelizmente.

2 comentários :

Comecei a assistir NBA este mês para fugir do fraco futebol praticado no Brasil e ao redor do mundo. Estou adorando basquete, embora ainda não entenda todas as regras...

O jogo de ontem foi incrível. Mesmo sem entender muito de basquete percebi o erro flagrante da arbitragem. É verdade que a tecnologia foi inútil neste lance, mas se ruim com ela, pior sem ela... Basta ver o futebol como exemplo.

E que jogador é o Crhis Paul. Dá gosto de ver ele jogar. Confesso que prefiro as suas jogadas do que a do MVP, que embora melhor não é tão plástico como o "baixinho" do Clippers.

a arbitragem ontem deu o jogo para okc!

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!