Acompanhe aqui:

31 de maio de 2014

As futuras estrelas da NBA - Parte 3

Dante Exum
Ariel Paiva (@tripledouble_)

Dando sequência aos nossos posts sobre a galera do Draft, chegamos a PARTE 3, a PENÚLTIMA. Vale sempre frisar que essa série é apenas um mini guia, longe de apontar a posição exata do atleta no Draft desse ano.

Parte 1 
Parte 2

Dante Exum

O famoso caso de combo guard (maior exemplo na NBA: Derrick Rose), um jogador que pode atuar na posição de armador e ala-armador. O australiano, aliás, se movimenta extremamente bem sem a bola, não necessitando, no caso, de ter a bola na mão para pontuar. Ofensivamente, pontua muito bem próximo da cesta, mas tem alguma (bastante) dificuldade como shooter. Nada que alguns treinos de verão não resolvam. Defensivamente é bastante competente, principalmente no um contra um. Porém é fora da quadra que Exum se destaca. Muito dedicado nos treinos e determinado, além de ter instinto de liderança e um caráter excepcional.

Comparação na NBA: Derrick Rose (que defende)

Dario Saric



O ala/ala-pivô joga pelo Cibona, da Croácia e é com certeza o protagonista de tal time. MVP da liga Adriática (tradução livre), Saric é um jogador exemplo. Não tem preguiça de treinar e melhorar o seu jogo, como aconteceu na última temporada aonde melhorou seu jogo defensivo. Dario não tem as características físicas avantajadas como a maioria dos outros jogadores concorrendo a uma vaga na NBA, mas com certeza é um dos mais esforçados. Para compensar sua falta de atleticismo, o ala é muito inteligente e pensando sempre no time, fazendo com que seus companheiros atinjam seu melhor desempenho. Como shooter não é excepcional, principalmente devido a sua mecânica lenta. Mas como citado anteriormente, é bastante esforçado e com o passar do tempo pode melhorar seu jogo ofensivo ainda mais, pois no garrafão já tem um bom aproveitamento.

Comparação na NBA: Boris Diaw (só que "magro") 

Jusuf Nurkic 




Mais um pivô da série "agraciados pela genética". De ética duvidosa dentro e fora de quadra, aonde não se esforça muito nos treinos e bate mais que a mãe durante os jogos, Nurkic tem algo que o coloca entre os melhores da classe. Ótimo footwork, trabalhando extremamente bem no pick-and-roll. Tem um gancho bastante razoável, cobre bem lances livres e não tem medo do contato, o que o torna bastante bom em rebotes. Precisa se disciplinar e se manter focado para aprimorar seu jogo, que tem certo potencial.

Comparação na NBA: Nikola Pekovic 

Doug McDermott 




McDermott é o melhor finalizador de jogadas da NCAA em o que? 10 anos? No perímetro e de meia distância, o ala-pivô (há controvérsias) consegue concluir as jogadas da melhor maneira possível, seja no catch and shoot, pull up, off dribble. Ano após anos, McDermott tem incluído ao seu jogo mais armas ofensivas, fazendo com que chegue na NBA completamente pronto para ser aquele seu sexto-homem em uma equipe já pronta ou o arremessador em equipes em reconstrução. Pesando contra, está a indefinição de sua posição quando enfrenta adversários complicados. O comprimento de seus braços é curto para enfrentar grandes alas-pivôs, e seu atleticismo é inferior ao da grande maioria dos alas da NBA. A indefinição de posição é uma das coisas que prejudicou muito o Anthony Bennett, exemplo mais recente. Além da incapacidade de McDermott em se antecipar em lances de rebotes, e principalmente de roubos de bola e tocos. 

Comparação na NBA: Wally Szczerbiak

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!