Acompanhe aqui:

18 de abril de 2014

Conheça os polêmicos Bad Boys de Detroit


Se você não gostava do Detroit Pistons dos anos 80, com certeza não gostava dos Bad Boys. E se não conhece a turma que entrou para a história e ganhou documentário da ESPN, vai conhecer um pouco de sua história.

Basicamente era um grupo que priorizava o jogo defensivo. Ok, o que tem de errado nisso? Nada. Mas as vezes esse jogo defensivo era tão físico que atletas como Michael Jordan cuspia chamas de raiva ao falar sobre o Detroit Pistons de Isiah Thomas e cia. Inicialmente a franquia nunca alcançou sucesso diante das principais equipes da NBA. O técnico Chuck Daly (o comandante do Dream Team) chegou instituiu um novas regras dentro da organização: "Jordan Rules". Daly prometeu que os Pistons nunca mais perderiam para Michael Jordan. E foi além: o número 23 teria que ser parado de qualquer maneira. Era uma ordem.

Foi essa mentalidade de vencer por qualquer meio necessário que permitiram o Detroit Pistons dominar seus adversários no fim dos anos 80. Os Bad Boys, para algumas pessoas, foram responsáveis por parte do breve desaparecimento de grandes times como Boston Celtics e Los Angeles Lakers.

Em 1989, os Pistons derrotaram os Lakers e conquistaram o primeiro título da organização. Antes do campeonato de 89, Lakers e Celtics combinaram para um total de oito títulos da NBA (de 1980 até 1988). Após isso, nem Lakers e nem Celtics venceriam um título até 2000, quando Shaq liderou a franquia de Los Angeles até a glória.

Aquele time contava com Isiah Thomas, John Salley, Dennis Rodman, Rick Mahorn e Bill Laimbeer. Não foram poucos atletas e comandantes que protestaram à forma que os Pistons atuavam. Segundo eles, o basquete apresentado pelo time de Daly era desqualificado. Realmente o esforço físico era a marca daqueles cidadãos, no entanto não pode ser esquecida a química e talento daquele grupo campeão. 

A rivalidade foi tão imensa que Michael Jordan, Larry Bird e outros monstros se reuniram e decidiram que Isiah Thomas, mesmo comendo a bola, não merecia ser convocado para fazer parte do Dream Team. Com o basquete "sujo", segundo eles, Thomas não tinha condições de fazer parte de um grupo tão poderoso.

Apesar de dividir opiniões, os Bad Boys formaram um dos melhores times que essa liga já teve. A gana pela vitória era o combustível. E aquele jeito agressivo rendeu dois títulos seguidos. Hoje, em um mundo sem graça, os Bad Boys fazem falta!

1 comentários :

Artigo fraco, nem sitou o segundo melhor jogador do time e melhor defensor do Michael Jordan

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!