Acompanhe aqui:

21 de outubro de 2013

Spurs ainda é candidato ao título para a temporada 2013/2014?



Leonardo Farias Studart (Representante San Antonio Spurs)

Há anos escutamos afirmações como: “Essa é a última chance do Spurs” ou “eles estão muito velhos, não vão chegar longe”. Entretanto, todo ano vemos o Spurs nos playoffs e brigando pelo título. De fato eles chegaram muito perto na ultima temporada, estando a apenas 5 segundos da consagração naquele memorável jogo 6, em que Ray Allen mostrou toda sua frieza. Depois de morrer na praia fica a pergunta: Spurs conseguirá repetir esse feito de novo ou a velhice realmente os pegou?

Após a virada levada do Thunder nas finais de conferencia de 2012, em que estavam vencendo por 2-0 e acabaram eliminados por 4-2, muitos pensaram que a velhice havia chegado de vez e o sonho do ultimo título do experiente trio havia acabado, pois o Spurs não teria mais gás para enfrentar as jovens e atléticas da equipes da NBA. Porém, na última temporada, eles provaram o contrário. Com um grupo que mesclou jogadores experientes com bons jovens jogadores, a franquia texana lutou por 7 jogos contra o Heat na final.

Para a temporada que começa já na próxima semana, temos diversos fatores que devem influenciar no resultado da equipe. Tim Duncan, com 37 anos, teve uma temporada absolutamente fantástica, lembrando o jovem Duncan, que liderou o Spurs na última década. Será difícil manter o mesmo ritmo com 38 anos e 82 desgastantes jogos. Tony Parker vem de uma sequência de ótimas temporadas, e agora de um título no Eurobasket, ainda inédito em sua vitoriosa carreira. A falta de descanso na offseason pode ser prejudicial, até porque Parker não é mais um garoto, e no fim da temporada passada e nos playoffs, sofreu com algumas lesões. A grande incógnita do Spurs atende pelo nome de Emanuel Ginóbili. Será Ginóbili aquele jogador genial que estamos acostumados a assistir ou será o Ginóbili das finais, que teve jogos discretos e chegou a pensar até em aposentadoria?


É bem claro o declínio de Manu algumas temporadas pra cá. Suas médias nos playoffs de 14.4 pontos por jogo com aproveitamentos de 33,8% nos 3 pontos e 85,7% no lances livres caíram nas finais para 11.6 pontos por jogo com aproveitamentos de 25% nos 3 pontos e 78.6% no lance livre. Esta queda pode ser explicada devido a sua idade avançada, 35 anos, com um histórico de lesões, inclusive durante a final da temporada regular, além da defesa sufocante dos atléticos jogadores do Heat. Devemos também lembrar que Manu defendeu a Argentina nas olimpíadas de 2012 e não teve descanso entre as 2 últimas temporadas, o que pode também ter afetado seu jogo. Ginóbili é um jogador chave para o Spurs, um jogador bastante inteligente e criativo em um sistema de jogo rígido como o de Popovich. Como disse coach Pop na série contra o Memphis Grizzilies nos playoffs de 2011: “Sem Ginóbili, sem título”. Se o Spurs quiser disputar o título novamente, Ginóbili deve seguir o exemplo de seu companehro Tim Duncan, que surpreendeu a todos elevando todas as suas médias, jogando como se tivesse 25 anos novamente.

Como jogadores coadjuvantes, mas também importantíssimos, o Spurs tem Kawhi Leonard, Danny Green e Splitter (apesar das atuações apagadas nas finais), que estão em constante evolução, especialmente Leonard, que Pop falou que será o próximo grande astro a carregar o time. Danny Green é um jogador bastante eficiente das linhas do 3, que se adequou perfeitamente ao sistema do Pop. Splitter é um pivô inteligente com um ótimo posicionamento defensivo que vem melhorando a cada temporada. Leonard, como Pop já afirmou, deverá ser o futuro franchise player da equipe. Ele tem apenas 22 anos, jogador bastante atlético, que vem evoluindo de forma exponencial seu jogo, tanto ofensivo quanto defensivo.


No banco temos o gordinho Boris Diaw, que, não sei como, marcou LeBron de forma brilhante e é bastante inteligente, além de ótimo passador para sua posição. Para suprir a saída de Neal, chegou o italiano Marco Bellineli, que particularmente me agrada bastante. É um ala que não defende mal, tem um belo aproveitamento nos chutes de 3, e sabe atacar bem a cesta quando necessário. Bellineli foi pouquíssimo utilizado pelo remendado Bulls durante a temporada regular, mas quando precisaram dele nos playoffs jogou muito bem, com 9.6 pontos por jogo em apenas 26 minutos de ação. Spurs ainda conta com a adição de Corey Maggette, jogador veterano, que foi pouco utilizado pelo Detroit Pistons na último ano, mas que ainda pode contribuir durante alguns minutos vindo do banco. O chutador de 3 pontos de confiança de Pop, o lendário Matt Bonner, conhecido como Red Mamba, volta para mais uma temporada com seus números consistentes e chutes de 3 precisos. Para finalizar, temos os atletas pouco utilizados: Corey Joseph, jovem armador canadense de apenas 22 anos, que parece estar crescendo no conceito do Pop, Nando de Colo, jogador já considerado uma grande promessa da França, mas que não tem se mostrado tão efetivo quanto se esperava. Por fim o Australiano Patrick Mills, que torce lá do banco como ninguém (disputa parelha com Ronny Turiaf). 

O Spurs terá um árduo caminho para chegar ao título, com times do Oeste se reforçando, como Warriors e Houston, e equipes que continuam muito fortes, como Thunder, Memphis e Clippers. O segredo (que não é segredo nenhum) para o Spurs ser um candidato ao título é a saúde de seus jogadores veteranos. Todos os jogadores tem um bom entrosamento e têm jogado durante anos em um esquema tático eficiente. Se o Big Three do Spurs se mantiver sadio durante a temporada e os playoffs, podem ter certeza: Spurs terá sua ultima chance (ou uma das várias da década – não dá pra duvidar mais deles) de conseguir mais um título para Duncan, Parker e Ginóbili.

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!