Acompanhe aqui:

20 de dezembro de 2012

O basquete e o controle emocional


Ontem não acompanhei muito a rodada da NBA, mas quando abri o aplicativo da NBA em meu celular vi que o Charlotte Bobcats estava vencendo o Los Angeles Lakers em pleno Staples Center. Me espantei na hora. No momento twittei que era uma grande surpresa, mas teve pessoas que chegaram me perguntar: você vem assistindo a temporada? Teve até um cidadão que disse que eu não estava assistindo e ironizou o fato do nome do blog ser Paixão NBA. Tudo isso porque o Lakers não está muito bem na temporada, por isso não é uma surpresa.

Ora, o Charlotte Bobcats hoje é o pior time da NBA. Disparado. O time que tem Michael Jordan como dono não vê a cor da vitória faz um bom tempo. A equipe até que começou bem, chegando a ficar com uma campanha de 7-5. Desde lá, 12 derrotas SEGUIDAS. E o pior: sendo saco de pancadas. Dessas 12 derrotas, no mínimo em 8 apanhou de seus adversários.

Como deve estar o emocional dos jogadores? Poxa, eles estão lá, correndo, se esforçando, mas nada dá certo. Pelo contrário, estão apanhando feio. Quando o emocional está abalado, tudo dá errado. O jogador entra sem confiança, a bola escorrega, a mão fica dura para o arremesso, enfim, fica mais complicado.

Já o Lakers tinha Kobe como cestinha da temporada, vindo de duas vitórias seguidas, tinha a volta de Pau Gasol e jogava em Los Angeles, no seu ginásio. Qual a reação que você tem ao ver o pior time da NBA vencendo o Lakers no Staples Center? Você não fica surpreso?

O que eu quero dizer é que não são apenas os números que movem o esporte. O esporte é movido por vários fatores. Quem pratica esportes, atua em jogos oficiais ou amistosos, sabe como é quando o emocional não ajuda. Para analisar uma partida, várias circunstâncias devem ser levadas em conta. Beleza que o Lakers não faz uma boa temporada, ou que o Bobcats está com uma campanha de 7 vitórias e tem Kemba, Sessions e cia. que as vezes fazem bons jogos. O que tinha que ser levado em conta era a campanha das equipes e a moral que elas vinham.

Confesso que dei risada quando o cidadão no twitter disse que não entendo nada. Foi legal. Não entendo. Ah, mas me esqueci! Sou um fanático por futebol escrevendo NBA desde 2011 por ser modinha. Por favor, né!

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!