Acompanhe aqui:

18 de julho de 2011

Segunda Inútil: O pássaro do Colorado


Sérgio Júnior


Um tempo atrás quando nós do Paixão NBA revelamos nossos clubes, eu disse que uma das razões de torcer para o Denver é por ser um time cheio de estilo e as vezes até anárquico, e o principal disso é Chris Andersen, The Birdman.

Se hoje ele é um ídolo da torcida do Denver por sua paixão e garra, o local de Long Beach passou por muita coisa antes de chegar nisso. Em nível universitário jogou pela Blinn College no Texas, onde cresceu apesar de ter nascido na California. Foi apenas um ano jogando pela Blinn até ir para o Draft de 1999 onde acabou passando despercebido e não achou emprego na grande liga.

Foram dois anos perambulando pelo mundo do basquete. Seu primeiro time foi o Jiangsu Nangang da China onde jogou entre 1999 e 2000 até voltar para os Estados Unidos onde jogaria no Fargo-Moorhead Beez, time da IBA – Uma pequena liga entre Estados Unidos e Canadá que teve apenas seis temporadas entre 1995 e 2001 – onde disputou a última temporada da franquia pela IBA.

Da IBA, Chris Andersen deu um passo importante e foi para a D-League ainda em 2001. Foram apenas três jogos pelo Fayetteville Patriots e então foi para Denver, foram 24 jogos na temporada onde jogou 10 minutos por jogo. Nas temporadas de 2002-03 e 2003-04 acabou jogando 15 minutos por jogo e jogou grande parte dos jogos do time nesse tempo. Também deu tempo de participar do concurso de enterradas de 2004 onde foi vice-campeão, em 2005 – já como um Hornet – foi lanterna.

Com o fim de seu contrato em Denver, acabou assinando com o New Orleans Hornets onde passou pelo pior momento de sua carreira, e até da sua vida. Chris passou por problemas sérios com drogas e a NBA que é uma empresa formadora de caráter e leva esses assuntos muito a sério acabou por suspendê-lo da liga por dois anos. Foram dois anos difíceis entre 2006 e 2008 até conseguir um acordo para voltar, em Março de 2008 renovou com o Hornets até o fim da temporada por onde jogou apenas cinco jogos até ficar livre no mercado novamente.

Problemas passados, com 30 anos e muito mais juízo do que no passado – pelo menos nas drogas – Birdman assinou um contrato com o Denver Nuggets e estava de volta ao time que te deu a projeção na liga e acabou recebendo a confiança de George Karl e todo o pessoal de Denver. As três temporadas que ele fez até então foram inesquecíveis para ele e para a torcida, o jogador chegou a receber muitos votos para sexto homem em 2009 e ainda teve a oportunidade de fazer parte da maior campanha da história do time do Nuggets.

Hoje aos 33 anos, Chris Andersen ainda tem disposição para vir do banco e trazer aquela mesma garra dos últimos três anos e com certeza tem tudo para ajudar o garrafão do time que pode perder Nenê e Kenyon Martin. E é disso que a NBA precisa, jogadores irreverentes, raçudos e a NBA também com certeza ajudou Andersen como pessoa também, uma grande troca de valores.

E Andersen com certeza levou marcas dessa longa estadia na NBA...

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!