Acompanhe aqui:

5 de junho de 2011

Quem tem LeBron James, decide com Dwyane Wade


Com o dono do time Dwyane Wade chamando toda a responsabilidade, o Miami Heat, novamente no sufoco, venceu o Dallas Mavericks e recuperou o mando de quadra perdido na quinta-feira após a equipe da Flórida estar vencendo por 15 pontos de diferença e o time do Texas virando de forma espetacular.

A dúvida que se tinha era como o Heat iria encarar esse jogo. Entraria com mais fome de vitória ou entraria mais acuado após o alemão conduzir os Mavs para um vitória histórica no último jogo. Foi a primeira opção. Atacante diversas vezes a cesta, os comandados de Erik Spoelstra dominaram boa parte do jogo, mas sem conseguir administrar a grande vantagem que tinha. Nos minutos finais, o jogo ficou caracterizado pelo duelo Dwyane Wade e Dirk Nowitzki. Melhor para D-Wade. A arbitragem prendia o jogo marcando falta atrás de falta, deixando a partida chata e sem muita emoção como quer os fãs do melhor basquete.

Participativo desde o primeiro minuto, Wade terminou como cestinha da equipe de Miami. Autor de 29 pontos e 11 rebotes, o camisa 3 foi eleito o melhor jogador da partida. O ala-pivô Chris Bosh, mal nos arremessos de quadra, foi preciso e providencial no momento decisivo. Bosh terminou com 18 pontos. LeBron James é que ficou devendo, pois não apareceu, se escondeu e não decidiu, ficou marcado como coadjuvante de Wade. Ao menos, ajudou com 9 assistências além de seus 17 pontos. Quem entrou e não titubeou foi Mario Chalmers, que marcou 12 pontos (acertando 4 bolas de três)

Quem estava afim de aprontar era o alemão Dirk Nowitzki. Em um determinado momento do jogo marcou os 12 pontos seguidos de Dallas. Perfeito nos lances livres e gênio nos arremessos de quadra, Dirk marcou 34 pontos. O erro que ele lamentará é o arremesso perdido no último segundo, onde ele poderia forçar uma prorrogação. O reserva Jason Terry entrou e marcou 15 pontos. Jogador regular nessa pós-temporada, Shawn Marion anotou somente 10 pontos em 43 minutos.

Em onze casos quando as finais estavam empatada em 1-1, o vencedor do jogo três se sagrou campeão. A vitória é importante pro Heat. Além de já roubar o mando de quadra, tem mais dois jogos longe de South Beach para se aproximar do anel. Se LeBron James ficou devendo, Wade vem sendo o jogador de cinco anos trás e conduzindo esse time de forma brilhante.

Para Dallas, resta vencer os dois jogos que tem sua casa e mandar toda a pressão para o lado adversário. Complicou, é verdade, mas ainda tem muita coisa para rolar.

O que me chateia é a atuação da arbitragem. Como destacou Eduardo Agra, comentarista da ESPN, e os twitteros atentos ao jogo, a arbitragem está num nível muito baixo do esperado. Nem parece um jogo de final. Qualquer disputa pelos rebotes era marcada falta. Não queremos isso. Queremos emoção. Queremos ver mais dos confrontos entre Wade e Dirk. Por fim, queremos uma final de NBA à altura de uma final de NBA.

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!