Acompanhe aqui:

16 de maio de 2011

Resumo das semi-finais dos playoffs


Devido aos 7 jogos da série Grizzlies e Thunder, somente hoje vamos fazer o famoso resumão das semi-finais dos playoffs. Além dos resumos, fica minha opinião de qual foi a equipe ideal.

Dallas Mavericks x Los Angeles Lakers

Essa foi uma série que tinha tudo para chegar a sete jogos e ao contrário da felicidade geral da nação, só rendeu quatro duelos. De um lado os atuais bicampeões da liga. Do outro uma equipe com fama de amarelar nos momentos decisivos. Analisando assim, o Lakers se classificaria facilmente em cima do Mavericks. Porém aconteceu o contrário. Dallas simplesmente atropelou a franquia da Califórnia após ter feito uma série meio complicada com o Portland Trail Blazers. Sinceramente foi chato ver Kobe Bryant e companhia abandonarem a pós-temporada desse jeito. Qual fã do melhor basquete do mundo não curte ver as mágicas jogadas do “Black Mamba”? Não vimos isso dessa vez, não pelo lado da turma de amarelo e roxo, mas sim da parte do alemão Dirk Nowitzki. Ele foi o principal algoz de Los Angeles com atuações dignas de MVP.
Ao contrário do que foi dito, o Lakers não foi “varrido” de forma “zebrática”, se é que posso usar esse novo verbo. Problemas no jogo do time eram vistos nas rodadas anteriores. Exemplo foram as derrotas para o New Orleans Hornets nas vezes que a turma do CP3 resolveu jogar. Kobeé um craque, isso é fato. Mas daí querer ser herói em 99% dos jogos não dá certo. Algumas bolas forçadas por ele acabaram sendo importantes para as derrotas do time. Óbvio que a culpa não é só dele. Pau Gasol foi irreconhecível, principalmente nessa série.
Da parte do Mavericks vimos um monstro que vinha adormecido. Uma franquia que tem Nowitzki não pode ser subestimada. O alemão pode matar a partida quando quiser, mas se seus companheiros o auxiliarem. E isso Jason Kidd vem fazendo de sobra nessa série. O veterano armador vem dando boas assistências e fazendo pontos determinantes para as vitórias. Tyson Chandler que fez uma boa temporada regular não mudou seu ritmo de jogo nos Playoffs e está dominando a parte pintada do garrafão. Sem falar em Jason Terry que parece acertar onze de dez arremessos tentados na linha dos seis metros por jogo.

Oklahoma City Thunder x Memphis Grizzlies

Ela chegou como a série menos badalada e acabou se tornando a melhor série dos playoffs até aqui, sendo decidida em sete jogos, e que jogos. Após eliminar os Spurs, os Grizzlies veio com a força de Zach Randolph para cima do Thunder, e o Z-Bo conseguiu fazer estragos junto com Marc Gasol, que fez uma série de outro planeta e jogou tudo aquilo que seu irmão deixou de jogar. A dupla conseguiu se sobressair sobre Serge Ibaka e Kendrick Perkins, mas acabou faltando aquele algo a mais, que o Thunder tinha. Kevin Durant provou que é hoje um dos melhores jogadores da liga e acabou decidindo no jogo 7, apesar de sofrer marcações implacáveis da dupla Battier e Allen. Seu companheiro Westbrook foi outro fator determinante e apesar de exagerar em alguns jogos conseguiu junto com James Harden dar um auxílio de última classe para Durant. Foi um 4 a 3 épico para o Thunder, que com certeza aprendeu lições e ganhou experiência para enfrentar o time cheio de veteranos do Mavs.

Miami Heat x Boston Celtics

Miami Heat e Boston Celtics era o confronto mais esperado da pós-temporada desde que LeBron James decidiu jogar na franquia da Flórida. Após o Boston eliminar o Heat nos playoffs da temporada passada, a coisa foi bem diferente em 2011. Liderados pelo super trio, dono de esmagadores 75% dos pontos da equipe, Miami aplicou 4-1 e se garantiu nas finais de conferência. Tranquilidade? Só no jogo 1. No geral, o que reinou foi o equilíbrio. Em duas oportunidades o Celtics tinha tudo para vencer e estender mais a duração da série. Só que, se falta peças para o Heat, o negócio é apostar em LeBron, Bosh e Wade. Nos momentos mais importantes, o trio decidia. No jogo que acabou classificando o Heat, o time do jovem técnico Erik Spoelstra aplicou 15-0 nos 3 minutos finais (10 feitos por LeBron). Enquanto pelo lado verde, Rajon Rondo fazia falta e Delonte West era uma máquina de turnorver e com o trio de ferro cansado, a coisa só piorou. O Heat acabou sendo muito criticado por suas partidas irregulares na temporada regular, mas vem jogando como autentico time de playoff e está com a moral muito elevada. Há quem diga que apostar na individualidade pode levar esse time ao título, e tem quem diga que isso pode ser prejudicial. O único fato é que James VS. Rose será um duelo espetacular.

Chicago Bulls x Atlanta Hawks

Para quem esperava um 4x0 tranquilo do Chicago Bulls contra o Atlanta Hawks, se enganou feio. Logo deu cara, Atlanta deu as cartas ao vencer o primeiro jogo no United Center. Com Derrick Rose ainda apagado nos playoffs, e Carlos Boozer longe do seu melhor basquete, o Bulls sofria nas mãos do armador Jeff Teague, nos arremessos certeiros de Joe Johnson e na defesa de Josh Smith. Só foi o MVP da temporada “entrar’ na série que a melhora de Chicago foi significativa. O Hawks tentou surpreender com outra vitória, dessa vez em casa, na Phillips Arena, porém, não deu, o Bulls levou a melhor. Podemos destacar algumas coisas: o jogo de Derrick Rose. Quando forçou ao extremo, o Bulls encontrou dificuldades. Quando Rose parou de forçar e começou a distribuir melhor o jogo, a franquia do Illinois não encontrou dificuldades para encontrar as vitórias. Outra coisa que temos que falar é como o Tom Thibodeau trabalha bem a defesa. Incrível a postura defensiva de sua equipe. Bulls está na final, tudo bem, isso todos sabem. Mas é óbvio que tem muita coisa para melhorar. A boa notícia é que Carlos Boozer teve grande participação no jogo 5 contra o Hawks. Se ele aparecer bem contra o Heat, aumentam as chances da equipe ir para as finais.

TIME IDEAL:

Derrick Rose, Dwyane Wade, LeBron James, Dirk Nowitzki e Marc Gasol

E aí, concorda? Comenta!

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!