Acompanhe aqui:

20 de maio de 2011

Quem manda é o treinador


Sucessão de turnovers no último quarto foi o motivo para Russel Westbrook assistir o final de Dallas Mavericks e Oklahoma City Thunder do banco de reservas.

O armador cantava as jogadas, mas não obtinha a ajuda dos colegas e tinha que decidir sozinho. Quando Scott Brooks, treinador do Thunder lhe tirou, o jogador, muito irritado, soltou o verbo. Com palavrões, disse que estava fazendo as jogadas, porém, os companheiros não estavam ajudando. Se foi culpa dele ou não, o fato é que Eric Maynor atuou como titular nos momentos decisivos.

Isso lança um bom tema para debate. Todos sabemos que o Westbrook é um grande jogador, é o destaque ao lado de Kevin Durant. O problema é que não estava acertando nada. O que o técnico fez? Tirou Westbrook e colocou um coadjuvante. Por mais desconhecido que fosse, sem ser um jogador de nome, Scott Brooks colocou o reserva em quadra. Corretíssimo.

Tem muito treinador metido a experiente que não tira os principais jogadores nem sendo obrigado. Além de ter sido uma boa substituição, é um recado para o jovem time do Oklahoma City Thunder: ninguém está garantido, ninguém é mais que ninguém.

Você imagina o Erik Spoelstra tirando o LeBron, o Wade ou o Bosh nos últimos minutos? Você imagina o Doc Rivers tirando o Kevin Garnett ou Paul Pierce? Phil Jackson tirando o Kobe? Difícil, né? Realmente é, pois é algo que não se vê todos os dias.

Ponto para Brooks que ajudou sua equipe empatar a série e roubar o mando dos Mavs. Quem é inteligente e corajoso nos playoffs sempre se dá bem. Quem manda é o técnico. Obedece quem tem juízo.

1 comentários :

Concordo com a atitude tomada pelo Brooks. Westbrook, por muitas vezes, tenta ser protagonista do time, a frente de Durant. Mas tirar Durant e Westbrook é bem mais fácil que sacar LeBron, Wade, Kobe ou Garnett. rs

@herbert_sp

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!