Acompanhe aqui:

29 de maio de 2011

A Jornada de Dallas

A jornada foi dura até o título de conferência...

Sérgio Júnior (@JuniorTNandTN)

O Dallas chegou nessa temporada como um dos favoritos na conferência oeste, não era o grande favorito, mas era um time que chegava com a liderança de Jason Kidd e Dirk Nowitzki e ainda com o reforço de Tyson Chandler, campeão mundial na Turquia, no garrafão, Caron Butler pronto para começar sua primeira temporada pelo Dallas e ainda Jason Terry vindo do banco para deixar 15, 20 pontos toda noite, um time completo e forte mas talvez não o suficiente para confrontar o atual campeão Lakers, os garotos do Thunder ou o também experiente time do Spurs.

A temporada começou com um confronto em casa contra o Charlotte Bobcats, onde Dirk Nowitzki mostrou o que seria tendência no futuro, 28 pontos em apenas 13 arremessos, e Jason Kidd ainda fez seu Season High de 18 assistências. Ainda em Outubro, o time venceu mais um jogo e perdeu para o promissor Grizzlies, terminando o mês em 2-1.

Em Novembro foram apenas 3 derrotas e 11 vitórias, e um alemão endiabrado que teve em Novembro seu melhor mês durante a temporada regular, foram médias de 26 pontos e 8 rebotes. Os grandes destaques do mês foram vitórias para Thunder, Spurs e Heat em sequência, uma sequência consagradora para Tyson Chandler que fez 50 pontos e pegou 43 rebotes nesse intervalo de jogos.

O time terminaria Novembro com uma sequência de 6 vitórias e em Dezembro já começou dobrando esse valor até uma derrota para o Milwaukee Bucks no dia 13 de dezembro. Outra sequência de vitórias veio nesse mês, dessa vez vitórias contra Heat, Magic e Thunder, todos fora de casa. Dessa vez o grande nome foi Caron Butler que foi o cestinha da equipe em dois desses jogos, porém Dirk Nowitzki acabou se lesionando no jogo contra o Thunder e só voltaria no meio de Janeiro. Após essas boas vitórias, o time acabou perdendo dois jogos em casa e terminando o mês com uma campanha idêntica a Novembro, 11 vitórias e 3 derrotas. No geral se via uma campanha de 24 vitórias e apenas 7 derrotas, porém os problemas de Dallas só estavam começando.

Logo no primeiro dia de 2011 em um jogo em Milwaukee, se já não bastasse a ausência de Dirk Nowitzki, o time ainda perdeu Caron Butler cedo no jogo e acabou perdendo para os donos da casa com 26 pontos do baixinho Earl Boykins. Porém a lesão de Caron Butler virou drama e ele estaria fora para o resto da temporada, uma perda forte e significativa para um time que já não estava contando com seu principal jogador. Sem Caron Butler, os especialistas já começavam a duvidar das chances do time em chegar mais longe na pós-temporada. Mesmo sem Butler e Dirk, o time conseguiu duas vitórias consecutivas, mas então veio uma sequência de 6 derrotas seguidas, a última já com Dirk em ótimas condições de jogo. E com Dirk voltando, a maré voltou ao lado do time que terminou o mês com 5 vitórias consecutivas e uma campanha de 32 vitórias e 15 derrotas.

No começo de Fevereiro mais 5 vitórias até uma derrota dura contra o Denver Nuggets no Pepsi Center, depois da derrota o time continuou a ganhar e terminou o mês com uma invejável campanha de 11 vitórias em 12 jogos, mesmo com Nowitzki em um período tímido de 22 pontos e 6 rebotes de média. Jason Terry foi o grande destaque do time no mês com sua melhor média de pontos na temporada, 17 por jogo. Nesse mês o time teve o reforço do especial em três pontos Peja Stojakovic, que chegou para tapar o buraco no elenco deixado por Caron Butler, o jogador já não era aquele de outros tempos mas seus chutes de longa distância ajudaram o time a fazer um mês quase perfeito.

O penúltimo mês de temporada foi irregular, foram 6 derrotas nos 16 jogos disputados no mês. A mais pesada delas sendo para o Lakers, 110 a 82 no último jogo de Março. Nas vitórias a maioria veio sobre times fracos, a melhor delas veio contra o Knicks, 127 a 109, mesmo com 36 pontos de Stoudemire. Com 53 vitórias e 22 derrotas, o Dallas já ia consolidando o mando de casa na primeira rodada dos playoffs.

Porém após três vitórias no início de Abril, colocaram Lakers, Dallas e Thunder em uma ótima briga pelo segundo lugar da conferência, Dallas venceu seus quatro últimos jogos e conseguiu guardar a 3ª posição no oeste. No último jogo o Dallas sofreu outro revés, Rodrigue Beaubois se lesionou e então perderia todos os playoffs, Rodrigue que já havia perdido o começo da temporada com outra lesão. Mesmo com a boa campanha de 57 vitórias e 25 derrotas, o Dallas chegou nos playoffs sobre olhares de desconfiança, e muitos apontaram o Portland Trail Blazers, rival do Mavs na primeira rodada, como o favorito para a série.

Nos dois primeiros jogos da série, o Dallas conseguiu ir atrás das vitórias com grandes jogos de Dirk Nowitzki e Jason Kidd. O alemão fez 28 pontos no primeiro jogo e 33 no segundo, Kidd fora de seu estilo atual anotou 24 e 18 pontos respectivamente, arremessando 25 bolas nos dois jogos. Porém quando a série foi pra Portland, o Blazers conseguiu se impor e levar a vitória no jogo 3, Jason Kidd não teve o mesmo impacto dos primeiros jogos da série e do outro lado Wesley Matthews deixou 25 pontos para coroar uma grande noite do ala. No 4º jogo da série, os fantasmas de Dirk voltariam a assombrá-lo, após abrir uma vantagem de 23 pontos o time do Texas acabou sucumbindo no último quarto enquanto Brandon Roy tinha uma noite mágica após passar por muitas incertezas e até passar pela dúvida de não jogar mais basquete, foram 24 pontos em 24 minutos em quadra, a grande parte no último quarto para decidir o jogo para seu time. Mas a estrela de Roy não voltou a brilhar, na 5ª partida ele fez apenas 5 pontinhos e viu Dirk deixar 25 para a vitória do time da casa, Dirk ainda decidiria a 6ª partida em Portland, foram 33 pontos e o passe para a semi-final da conferência contra o poderoso Lakers.

Os Lakers tinham eliminado o New Orleans Hornets com uma dificuldade que não deveria ter encontrado, mas no fim acabaram por passar em 6 jogos e chegavam como favorito para o duelo contra Nowitzki, na teoria. Na prática as coisas foram diferentes e apoiado por um Gasol cheio de problemas e um Kobe fominha, o Dallas acabou varrendo o Lakers com uma tranquilidade inimaginável. O destaque fica para o último jogo, onde o Dallas acabou humilhando o Lakers por 122 a 86, o time do Lakers acabou perdendo a cabeça e teve Odom e Bynum expulsos de quadra após Jason Terry acertar 9 de 10 chutes de três, uma máquina.

Com o Roy colocado no lugar e o Lakers varrido, o Dallas já ganhava um pouco de grife e chegava na final da conferência para um duelo de igual pra igual contra Durant e Westbrook. O duelo Durant contra Nowitzki começou muito bem na primeira partida, Durant fez 40 pontos, enquanto Nowitzki teve uma atuação memorável. Dirk fez 48 pontos em apenas 15 arremessos e quebrou o recorde de lances livres consecutivos em playoffs, 24 arremessos certos de 24 tentados, um show. No segundo jogo a marcação do Thunder sobre Nowitzki acabou funcionando e James Harden começou a dar as caras e se mostrar um jogador diferenciado, foram 23 pontos, 7 rebotes, 4 assistências e ainda 2 roubos. Quando a série foi pra Oklahoma, o Thunder tinha a vantagem de ter “quebrado o serviço” e vinha para se consolidar para fechar em Dallas. Conseguiram marcar Nowitzki, mas Westbrook teve turnorvers de sobras enquanto Shawn Marion deixava 18 pontos, Dallas na frente de novo. No 4º jogo o Thunder vinha forte para empatar a série, o time ainda não tinha perdido jogos consecutivos em playoffs, e tava tudo correndo bem até quando Durant fez uma bola de três e o time abriu 15 pontos faltando 5 minutos para o fim de jogo, porém Dirk Nowitzki voltou a brilhar e com cesta atrás de cesta conseguiu levar o jogo para a prorrogação, e lá com ajuda de Jason Kidd, que fez uma cesta crucial quando o jogo estava empatado, acabou levando uma linda vitória e a chance de fechar a série em casa. E foi o que aconteceu, Dirk e Marion fizeram 26 pontos cada e acabaram anulando a dupla de Oklahoma City, o time do Thunder que ficou na frente por grande parte do jogo e de novo sofreu uma virada no último quarto, uma amostra da força da experiência do Dallas.

Após do toda essa jornada, o Dallas chega mais forte do que nunca para a final da NBA, Dirk Nowitzki vive um momento mágico e está pronto para apagar o vexame de 2006. Jason Kidd, aos 38 anos, chega em sua 3ª final com muita disposição e energia para marcar Rose ou Wade e conseguir seu primeiro anel. O adversário de Dallas terá que se preocupar, e muito, com Nowitzki mas ainda terá que conter as bolas de Jason Terry, a velocidade de JJ Barea e ainda Shawn Marion que vem renascendo nesses playoffs. Seja Bulls ou seja Heat, quem chegar na final para enfrentar o Dallas terá muitos problemas e será um final com um nível muito alto.

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!