Acompanhe aqui:

17 de maio de 2011

Entrevista com Lucas Bebê


Saiu a primeira entrevista do Paixão NBA. Após a confirmação de sua inscrição no Draft da NBA, aumentou o meu interesse de entrevistar o brasileiro Lucas Bebê. Após algumas conversas, finalmente a entrevista saiu. Confira!

1ª Como você resumiria esse seu período na Espanha?


Lucas: Terminei minha terceira temporada na Espanha e está sendo muito bom. Jogar na Europa é uma experiência muito boa, a Espanha é uma escola forte de basquete e estou evoluindo, crescendo a cada ano. Fui muito bem recebido no Estudiantes e me sinto em casa em Madri, tivemos um ano muito bom e, especialmente para mim, aconteceram coisas muito boas, como a 'convocação' para viajar com o time principal na Copa da Europa, disputei o Nike Hoop Summit, agora vem o Draft e estou muito motivado.

2ª Por que você decidiu que agora está na hora de ir pra NBA? Sente-se bem preparado psicologicamente e fisicamente para o desafio?

Lucas: A opção pela inscrição no Draft foi dos meus agentes. Deixo tudo nas mãos deles, eu só me preocupo em treinar e jogar, tudo o que for extra-quadra fica sob responsabilidade deles. Estou indo passar um mês e meio nos Estados Unidos, vou treinar na academia Impact, em Los Angeles, para chegar bem no Draft.

3ª O Dwight Howard é um excelente pivô, o melhor atualmente, isso ninguém discute. Mas sabemos que você é fã do LaMarcus Aldridge. Por que?

Lucas: Sou fã do LaMarcus Aldridge, sim, é um grande jogador e gosto muito do estilo dele. Howard é outro que admiro, ainda mais depois que o conheci, ano passado, nos Estados Unidos, é um cara muito simpático, me deu alguns conselhos e me recebeu muito bem. Gosto de muitos jogadores, em especial do Kobe Bryant, para mim o melhor de todos, um fora-de-série que faz as coisas difíceis parecem fáceis.

4ª Falando sobre o draft...Você acompanhou seus rivais de draft? Você acha que essa "turma de 2011" pode fazer historia na liga?

Lucas: Não tenho informações sobre os outros atletas inscritos no Draft. Só vou passar a pensar no Draft mesmo agora, que encerrei a temporada na Espanha e vou para os Estados Unidos. Mas, com certeza, vai ser uma 'turma' bastante forte, como sempre é, quem está com o seu nome no Draft é porque tem qualidades.

5ª Só de estar na NBA já é um grande feito, mas entre um time forte e arrumado com menos minutos de jogo, mas com mais tranquilidade para evoluir e um time mais fraco e com mais minutos, porém com uma maior pressão para as coisas acontecerem logo, o que você prefere?

Lucas: Não tenho preferência. O meu objetivo é entrar na NBA, chegar bem preparado e passar pelo Draft. Essa é a minha meta, estou confiante e vou ficar muito feliz, realizado se conseguir entrar. Entrando, para onde eu for, em qual equipe eu estiver, vou fazer o meu melhor, dar o meu máximo para ganhar espaço e mostrar o meu basquete.

6ª E você pretende estipular alguma marca mental de fazer tantos pontos ou pegar tantos rebotes na temporada?

Lucas: Não faço planos de NBA, porque ainda preciso passar pelo Draft. Minha concentração está apenas na preparação para esse Draft.

7ª A NBA pode não escapar de uma greve na próxima temporada. No que você perde com essa paralisação?

Lucas: Tenho lido algumas coisas na Internet sobre a greve, mas não é algo em que estou pensando no momento. Não sei como vai ser isso, se realmente vai haver greve, mas torço para que não haja, porque o esporte perde com isso. Torço para que todos se entendam e a temporada não sofra com isso, principalmente pensando nos torcedores, nos fãs do basquete, e eu sou um fã também. Espero que nada atrapalhe o Draft e que não haja greve.

8ª Você tem algum armador que seria perfeito para encaixar o seu jogo?

Lucas: O armador é uma peça-chave na equipe, mas não basta um bom armador, é preciso ter uma equipe, bem montada, bem treinada e comprometida. E isso não estou falando como pivô, não é só pensando em mim, é pensando no grupo, nos resultados, em competições. Não basta tem bons jogadores, é preciso ter um bom grupo. Você pode ter estrelas e não ter conjunto, para se alcançar bons resultados, para se ter sucesso, é preciso pensar coletivamente. O talento de um time está no grupo e, para que o meu time vá bem, eu preciso jogar bem, os armadores, os alas, cada um tem que fazer a sua parte e pensar na equipe, para que as coisas possam fluir bem.

9ª Como você avalia dos brasileiros que já estão na liga norte-americana?

Lucas: Conheci todos melhor no ano passado, quando fui chamado para treinar com a Seleção Brasileira, antes do Campeonato Mundial. Todos me receberam bem, conversamos bastante e torço muito por eles, admiro eles, porque foram responsáveis por abrir espaço para o nosso basquete na NBA. Se hoje estou indo para o Draft, eles tem uma parcela de 'culpa' nisso, porque o nosso basquete é respeitado lá. Esta não foi uma temporada boa para Varejão e Leandrinho, que se machucaram, nem para Nenê e Splitter, que acabaram eliminados muito cedo. Mas são atletas importantes em suas equipes, Leandrinho já foi 'Sexto Homem', Varejão é ídolo em Cleveland, Tiago está ganhando espaço e Nenê é um dos melhores pivôs da liga.

10ª Descontraindo um pouco...Você está animado para se ver no NBA 2k12?

Lucas: Ainda não pensei nisso. Estou concentrado no Draft, vou ter pouco mais de um mês para me preparar, para trabalhar forte, da melhor maneira possível, em Los Angeles, e vou mostrar o meu melhor basquete. Mas que seria maravilhoso estar no NBA 2K12, isso seria, tomara que tudo dê certo.

11ª E na noite do draft, vai ter uma sambadinha ao lado do Stern?

Lucas: Estou um pouco ansioso, claro, e preciso trabalhar muito para estar na noite do Draft, porque meus agentes podem retirar o meu nome antes do fechamento da lista final. Quero mostrar que posso ir bem preparado para o Draft e, se tudo der certo, se eu estiver lá e for selecionado... Não sei o que vai acontecer... É um sonho e estou indo atrás do meu sonho.

1 comentários :

Parabéns pela bela entrevista. Só mais um dos vários motivos para entrar nesse blog todos os dias. Sucessos.

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!