Acompanhe aqui:

27 de maio de 2011

Como lidar com uma troca no meio da temporada


Traduzido e adaptado por Sérgio Júnior

Uma coisa é ser trocado, você tem que mudar com a família, achar uma nova escola para os filhos e achar um novo lugar para morar, é muito trabalho e sem contar coisas como restaurantes e quadras para chutar umas bolinhas. Mas e ser trocado no meio da temporada? Isso é ainda mais difícil. A Dime Magazine entrevistou o ala-armador Mo Evans do Washington Wizards que foi recentemente trocado do Atlanta para o time da capital durante essa temporada.

Dime: Como você está gostande de D.C.?
Mo Evans: Estou gostando. É uma cidade muito boa, eu finalmente tive a chance de sair pela cidade, tenho jogado por todos esses anos e nunca fui para nenhum dos museus ou tours e todas essas coisas. Estou tendo a oportunidade de fazer tudo isso e descobri que é fascinante tudo que você aprende.

Dime: Como você reage a uma troca no meio da temporada? Quais são as partes mais difíceis?
Mo Evans: Bem, uma troca durante a temporada é uma transição mais fácil do que uma troca no fim da temporada. Eu nem chamaria essa (troca) de meio de temporada porque nós temos apenas 20 jogos para o fim. Nesse estágio de jogo, vindo de um “playoff contender” para um time que está em transição e reconstrução, os treinos são totalmente diferentes. Treino para nós está como “training camp” é no início da temporada. Em um time como o Hawks, que é um time de playoff, no começo da temporada você passa por treinos rigorosos no “training camp” e depois treina para se manter para o fim do ano. Mas um time jovem como o Washington, é totalmente diferente, não estamos jogando para os playoffs. Nós tempos cinco novatos, então não temos tempo para desperdiçar, então o treinamento é mais puxado e fazem muitos trabalhos de estratégia, é muito ensinamento. Então eu acho que essa é a fundamental diferença.

Dime: Você acha que seu papel é o mesmo que você tinha no Hawks ou você acha que é diferente?
Mo Evans: Meu papel é totalmente diferente aqui. Não vou dizer uma idade média, mas em Atlanta nós estávamos nos inclinando para um time mais veterano. O núcleo do time estava junto por um tempo; estávamos juntos por três anos. Agora nesse outro núcleo, como disse, temos cinco novatos e outros três ou quatros jogadores em seu segundo ou terceiro ano, então de repente eu me tornei um dos jogadores mais velhos num time. Eu e Josh Howard. E isso deixa meu papel totalmente diferente, agora eu tenho que ser um mentor para esse pessoal e tentar mostrar coisas para ajuda-los a melhorar. Seja fazendo-os chegar a tempo ou mostrando a importância de gerir o jogo. É basicamente mostrá-los como ganhar e fazendo isso de um jeito onde eles podem receber e não onde você está sendo condescendente. É usar as coisas que eu sei e que aprendi nos meus 10 anos contra eles para ganhar uma vantagem no plano de jogo. Não é por razões egoístas, mas é por controle.

Dime: Definitivamente. Como você compara D.C. com Atlanta?
Mo Evans: É diferente pelo que eu vejo. Eu vivo no centro aqui e esse centro de D.C. é um verdadeiro centro, uma verdadeira área metropolitana. É verdadeiramente ocupada e você pode dizer que os políticos estão no trabalho. Você pode ver a cidade exatamente se movento. Em Atlanta era mais residencial. Eram mais subúrbios e mesmo que seja uma grande cidade e tenha time de todos os esportes, era apenas mais...Eu acho que posso dizer pacífica. Você pode ir ao aquário com sua família, você pode ter bons jantares e todas essas coisas. Isso era mais regular para mim, você pode dar voltas pela vizinhança mais do que você aqui. Agora você corre pelo equivalente ao Central Park quando você está correndo pelo Monumento de Washington. Tem muitos lugares bons aqui. Andando você olha a Casa Branca na sua direita, isso é um pouco diferente.

Dime: Tinha algum lugar que você queria conhecer que você ouviu falar, mas nunca teve a chance de realmente ver?
Mo Evans: Nós fomos ao "Lincoln Memorial" outro dia e aquilo foi realmente sensacional de poder ver tanta história. Eu fiquei chocado que você poderia simplesmente andar nas ruas, eu pensava que quando andasse por lá teria um monte de seguranças, foi muito bom de ver isso. Nós estamos andando para o "Instituto Smithsoniano" agora mesmo enquanto falamos, andando pela cidade com minha esposa e minha filha. Tem muitas coisas legais para se ver por aqui. Eu vi o "Museu do crime e punição", e Isso foi bem legal, onde o FBI se originou e os mais procurados do FBI e coisas assim.

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!