Acompanhe aqui:

30 de abril de 2011

Um dia para ficar na história


É amigos, o que muitos temiam, aconteceu. O time de melhor campanha na conferência oeste, caiu diante da 8ª. Depois de ter perdido o jogo 5 de uma forma trágica, o Memphis Grizzlies colocou a cabeça no lugar e fez um belíssimo jogo, ficando praticamente o tempo inteiro na frente no marcador. No fim, festa dos mais de 18 mil torcedores presentes nos FedExForum. Era verdade: o time local estava eliminando o poderoso San Antonio Spurs.

Foi um jogo que a torcida dos Grizzlies sonhava. Memphis nunca havia vencido uma partida de pós-temporada. Logo contra os Spurs não veio somente a primeira vitória, veio a classificação para a próxima fase.

Não vou mentir e dizer que não torci para ninguém. Até o jogo 5, não estava torcendo mesmo. Mas a forma que os Grizzlies perderam aquele jogo mexeu comigo. Ontem, em cada bola do Randolph, eu comemorava. Mas calma, eu chego nesse assunto...

Novamente o destaque ficou por conta do garrafão dos Ursos: Marc Gasol e Zach Randolph. O irmão mais novo de Pau Gasol, anotou 12 pontos e apanhou 13 rebotes. Já o "tartaruga ninja", Zach Randolph, fez sua melhor partida NA CARREIRA. Sim, escrevi com o Caps Lock ligado. O cara foi simplesmente sensacional: 31 pontos e 11 rebotes. O que chama atenção é só ver um turnover (cometido na primeira posse da bola da partida). E olha que ele é o jogador que mais passa tempo com a bola. O venezuelano Greivis Vasquez, vindo do banco de reservas, teve excelente participação. Com Mike Conley fazendo muitas faltas, o sul-americano ditou o ritmo da equipe do Tennessee. Onze pontos para ele.


Pelo lado dos Spurs, tivemos o francês Tony Parker, ora distribuindo bem o jogo e fazendo belas bandejas, ora escolhendo a pior a hora para fazer chutes de longe e média distancia. No final, não segurou uma bola de Ginobili, que, praticamente, matou o jogo. Terminou com 23 pontos, entretanto, deixou a desejar. Manu Ginobili jogou abaixo do que produziu no jogo 5, mas apareceu nas horas mais decisivas. Só que o time não acompanhou. O argentino marcou 16 pontos. O brasileiro Tiago Splitter atuou por 13 minutos e ajudou com 4 pontos. O que mais se viu foi um Splitter bem no trabalho de marcação contra Marc Gasol. O catarinense tem grandes chances de ter uma excelente temporada 11-12.

Não sei se vocês notaram, mas podemos ter visto o último jogo de Tim Duncan. Eu acredito que ele ainda vai jogar, mas, caso ele mude de ideia de repente, foi a última partida de um dos melhores jogadores da NBA, sem dúvidas. Agora é férias para o time texano. Para Memphis, a franquia terá Kevin Durant e Russel Westbrook pela frente. Boa sorte para o time do técnico Lionel Hollins. Estou torcendo por uma série equilibrada.

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!