Acompanhe aqui:

16 de abril de 2011

Heat também passa sufoco, mas larga em vantagem sobre os Sixers: 1-0


Outro time que passou susto em sua estreia nos playoffs, foi o Miami Heat. Mas o susto do Heat foi diferente do susto passado pelo Chicago Bulls.

O início do jogo deu a impressão que os Sixers iriam aprontar. Contando sempre com a coletividade, Philadelphia terminou o primeiro quarto com boa vantagem: 31-19. Aí só foi o Heat mudar o estilo de marcação que as coisas melhoraram. Forçando seguidos turnovers do Sixers, o time cansou de partir nos contra-ataques. Contando com o talento de LeBron James, um Chris Bosh totalmente ligado na partida, a equipe saiu para o vestiário na frente: 54-49.

O segundo tempo deu a impressão de um massacre da equipe de South Beach. O time chegou abrir 16 pontos e dava indícios que não diminuiria o ritmo. Só que diminuiu. Dessa vez, relaxando demais e forçando os arremessos, Miami viu Philadelphia ficar apenas 1 pontinho atrás no placar. Se quando a coisa ficou difícil para Chicago e o Rose apareceu, na American Airlines Arenas quem apareceu no momento certo foi o jogador com mais tempo de casa, Dwyane Wade. Alternando bons e maus momentos, o Heat sai na frente: 1-0.


Eu continuo com a mesma opinião do início da temporada. O Heat, quando abre grande vantagem, fica displicente demais. Em 2 minuutos, chegou a tomar 10-0. Esse é o grande desafio do jovem técnico Erik Spolstra: fazer essa equipe jogar sério o tempo inteiro. Aliás, nem precisa ser o tempo inteiro, e sim, o tempo necessário.

O super trio se mostrou pronto para os playoffs e os três conseguiram dividir a pontuação e também conseguiram um grande desempenho nos rebotes, só o trio passou dos 30. O jogo mostra o que será a série, deve ter um equilíbrio mas no fim vai pender para o lado do time da Flórida.

Gostei do Bosh. É raçudo, comemora gritando, se doa em quadra. Esse tipo de jogador que se destaca em playoffs.

Achei que o Iguodala se escondeu nessa primeira partida. É um jogador decisivo. Consegue números expressivos sem forçar. Se ele crescer, o time cresce junto. Hoje quem mais se destacou na hora H, foi o Lois Williams. O jogo coletivo e eficiente segue, porém, pegou um trio pegando fogo.

1 comentários :

Já faz uns dias que falo sobre a displicência do Heat quando abre uma vantagem grande. Por isso perdeu jogos ganhos na temporada regular. Spoelstra é um técnico fraco que não tem domínio das estrelas. Quando o time abre vantagem, para de defender e começa a forçar arremessos e fazer graça no ataque. Contra os grandes isso pode ser um problemão nos playoffs.

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!