Acompanhe aqui:

3 de abril de 2011

A fase dos brasileiros na NBA

Nenê é o brasileiro que vive a melhor fase

Fiquei horas pensando em um tema legal para falar aqui no blog. Depois que pensei nesse tema, eu vejo que demorei bastante para tocar nesse assunto: Os brasileiros na NBA. Depois de torcer pelo meu time time (segredo!!) minha torcida é para que os brasileiros tenham bons desempenhos em suas partidas. Torço para o Nenê em Denver, Tiago Splitter em San Antonio, Leandrinho em Toronto e pelo Varejão em Cleveland.

Posso dizer tranquilamente que o Nenê está fazendo sua melhor temporada na liga. Não só pelos números, mas sim porque, com a saída do Carmelo Anthony, Nenê virou figura importante nesse novo time do Denver Nuggets. Agora é tudo na base da coletividade. Antes, com Melo, a tática era tocar no Melo ou no Melo. O time só jogava para o astro. E o resto do time? Sua ida para o New York Knicks foi em boa hora, já estava havendo um desgaste nessa "relação" com Denver. Sendo assim, ajudou Nenê. Ele já tem tempo de casa, a torcida gosta dele. Sua média de 14.8 pontos por jogo aumenta seu prestígio. Vale lembrar que é o jogador que tem o melhor aproveitamento nos arremessos de quadra e vem pegando mais rebotes... Em uma temporada sem grandes problemas de lesões, com um time mais solto ao seu lado, está sendo quase tudo perfeito para o brasileiro.

O que falar do Tiago Splitter? Falar do Tiago que estava aproveitando as oportunidades como titular dos Spurs ou do Tiago que esquenta o banco? O nosso amigo Greg Popovich poderia nos ajudar com essa dúvida. A ida do Tiago para o Spurs foi uma novela. Quando finalmente ele está a disposição, pronto para jogar, o Popovich o deixa no banco. Com as lesões de Tin Duncan e DeJuan Blair, Splitter recebeu chances no quinteto titular da equipe do Texas. Não decepcionou. Conseguiu double-double, quase conseguiu outro, brigou dentro do garrafão, enfim, mandou um recado para o técnico: "ei, eu tenho capacidade para ser titular, viu?". Quando pensamos que Popovich daria uma continuidade para o brasileiro, colocou ele no banco, deixando 4 minutos em quadra contra o Portland. Falar o que? Tiago já chegou a fazer 18 pontos, entrou no top 10 dos rookies... por que o Greg teima? Vamos torcer para ele ter chance nos playoffs, caso contrário, esperar a próxima temporada. O catarinense está com média de 4.5 pontos por jogo e 3.3 rebotes.

Depois de anos e anos jogando no Arizona, no Phoenix Suns, Leandrinho Barbosa se transferiu para o Canadá e foi jogar no Toronto Raptors. Assim como 2006/2007 quando eleito melhor 6º homem da liga, Leandrinho segue a mesma tendência nos Raptors. Primeiramente eu gostei da mudança de time. Poderia ter arrumado um time melhor (teve notícia colocando ele no Celtics), mas sair do Suns foi a coisa certa. Agora no Toronto, apesar das várias derrotas de seu time, Leandrinho vem saindo do banco e sempre se destancando. Joga menos minutos que os titulares, mas consegue fazer uma pontuação perto do que faz Andrea Bargnani e DeMar DeRozan. Entretanto, tem algo que não dá para entender. Tem jogos que ele chega perto dos 30 minutos em quadra, tem outros que sofre para ficar 20. Os chutes longos de Leandrinho são indispensáveis, principalmente em uma equipe que precisa pontuar bastante. O brasileiro está com média de 13.2 por jogo, nada mal. Acredito que se estivesse em uma equipe melhor, uma equipe mais "comentada", brigaria novamente para ser o 6º homem da liga. Se o Toronto vai mal das pernas, Leandrinho não está decepcionando.

Em Ohio, Anderson Varejão vê o seu time, o Cleveland Cavaliers ser a pior campanha. Com a saída de LeBron James do time, cresceu mais a importancia e a responsabilidade de Varejão. Ele começou procurar mais a cesta e brigar mais pelos rebotes. Vinha fazendo uma grande temporada, estava sendo, inclusive, muito elogiado pelos americanos. Me lembro bem de ter visto o final de jogo entre Cleveland e New York, partida que foi para a prorrogação. A gana que o Varejão brigava pelos rebotes, a vontade que tinha de ver sua equipe ganhar era de impressionar qualquer pessoa. Uma pena sua lesão. Não tiraria sua equipe do buraco, mas daria mais qualidade e quem sabe não engataria aquela sequência de incríveis 26 derrotas consecutivas. Anderson encerrou sua participação com 9.1 pontos de média e 9.7 rebotes. O pior de tudo é que pode desfalcar o Brasil no pré-olímpico. Vamos torcer que isso não aconteça.

No geral, a fase dos brasileiros que hoje atuam no melhor basquete no mundo não é ruim. A melhor fase é de Nenê, Tiago vai bem quando tem oportunidade, Leandrinho é um excelente sexto homem, Varejão estava sendo o destaque nos Cavs antes de sua lesão. Seria legal ver caras novas. Sempre que eu penso nisso lembro do Huertas. Um armador brasileiro na NBA é um sonho. Vamos torcer para o Jonathan Tavernari ir bem no universitário e conseguir uma vaguinha...;

Essa é a minha opinião à respeito dos brasileiros atualmente da NBA. Se você concorda ou discorda, comente este post.

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!