Acompanhe aqui:

27 de janeiro de 2011

All Love


JP ANTHONY

Todo mundo vive buscando o amor, uma pessoa para passar os dias ao lado, amar seu emprego, e até que sua sogra seja a Shakira para amar ela também. A NBA parece ter achado seu amor, sem um Love na liga desde 1977, a NBA pode ter achado o futuro craque dos rebotes da liga.

Após essa introdução brega venho falar de Kevin Love, o maior Love da NBA desde Bob Love que jogou entre 67 e 77, colecionando 3 All-Star Games e outras honras pela liga. Porém o ala branquelo do Timberwolves está pronto para fazer uma grande história pela liga.

O californiano de Santa Monica demonstrava seu talento já no High School, onde terminou como o maior cestinha do Lake Oswego Lakers, time da cidade onde viveu desde seu 2º ano de vida, com 2628 pontos. Em 2007 foi nomeado o Jogador de Basquete do Ano Gatorade. Um prêmio muito importante, que foi vencido por pessoas como Alonzo Mourning, Chris Webber, Kobe Bryant, LeBron James e Dwight Howard.

Para a faculdade, Love já havia acordado em 2006 que jogaria pela famosíssima UCLA, onde acabou jogando entre 2007 e 2008. Porém, Love era esperado em jogar na universidade de Oregon, onde seu pai estudou, e acabou decepcionando todos os fãs. A ira dos fãs foi sentida em um jogo onde UCLA foi enfrentar o time de Oregon, o Ducks. Os torcedores conseguiram o celular de Love e mandaram muitas mensagens obscenas e até chegaram a ameaçar o garoto de morte, no jogo a família de Love foi alvo de objetos, lixos e xingamentos. O jogador acabou respondendo dentro de quadra com 26 pontos e 18 rebotes, com o seu time vencendo por 80 a 75.

Ainda pela UCLA, Love liderou o time, junto com OJ Mayo, para o “Final Four” da NCAA onde o time perdeu para o Memphis Tigers. E terminou com média de 17 pontos, 10 rebotes e ainda 23 double-doubles.

Em 2008, Love foi a 5ª escolha do Draft, pelo Memphis Grizzlies, logo depois de outro companheiro de UCLA, Westbrook. Logo foi trocado para o Timberwolves, numa troca envolvendo seu antigo companheiro OJ Mayo, Mike Miller, Antoine Walker e outras “bombas”.

Em sua temporada de novato, Kevin Love mostrou um desempenho bom, mas nada espetacular, com 11 pontos e 9 rebotes por jogo já mostrava um ótimo desempenho nos rebotes, jogando apenas 25 minutos. Foram 29 double-doubles nos 81 jogos que disputou. O desempenho do time não ajudava, o time venceu apenas 24 jogos na temporada. Para fechar seu ano, foi indicado pro 2º time de novatos da liga.

Amadurecido, Love foi para sua 2ª temporada ainda sem status de titular mas já jogava mais tempo e subiu seus números em pontos, rebotes, assistências e roubos de bola. Jogando apenas 60 dos 82 jogos, conseguiu um aumento de 7 double-doubles da última temporada. O time foi pior ainda, apenas 15 vitórias e apesar de perder 22 jogos na temporada, Kevin estava presente em 12 dessas 15 vitórias. Ainda jogou o desafio dos novatos pela equipe Sophomore.

Antes da temporada de 2010/2011, Love fez parte da equipe norte-americana que representou o país no mundial de basquete. Apesar de pouco tempo de jogo, Love aproveitou bem esse tempo com a equipe americana e ainda levantou o caneco do campeonato.

Com a saída de Jefferson e o grande aprendizado na seleção, Love começou a temporada arrasando e pela primeira vez começava a temporada como titular absoluto. Logo no primeiro mês teve média de 20 pontos e impressionantes 15 rebotes, o auge foi numa partida contra o Knicks onde fez 31 pontos e 31 rebotes. Foi o 19º jogador a fazer um 30-30, o primeiro desde 1982 e também o primeiro a pegar mais de 30 rebotes desde 1996. E isso não parou por aí, Love continuou a fazer jogos monstruosos e nos 44 jogos que disputou até agora, fez 39 double-doubles, mais do que havia feito nas últimas duas temporadas completas.

O número atual de rebotes impressiona, 15 rebotes, porém sua eficiência é apenas uma continuidade do que ele vinha apresentando, se pegarmos sua média de rebotes por 48 minutos nos últimos anos, iremos ver: 17.2 em 2008/2009 e 18.4 em 2009/2010, o suficiente para ser um dos melhores da liga em ambos os anos. Na temporada atual o número atravessa os 20 e lidera a NBA. Já foram 2079 rebotes nessas duas temporadas e meia, o que o coloca como 5º maior reboteiro da franquia, categoria liderada por Kevin Garnett e seus 10542 rebotes. Também é o 3º em rebotes ofensivos e o 7º em rebotes ofensivos.

Com uma temporada impecável individualmente, mas com uma temporada fraca no time, Love sonha a curto prazo, com sua primeira aparição no All-Star Game. Com sua incrível inteligência de ler o jogo e sua média de 20/15, tem muitos méritos para aparecer na lista do grande jogo. Contudo, Love terá apenas Griffin, Gasol e Tim Duncan para ficar com a vaga, vai ser complicado, mas pelos números, Love já estaria lá. Em planos de longo prazo, vemos Love com uma potência em rebotes nos próximos anos e se o Timberwolves não começar a montar times mais atraentes, este futuro dominante do “reboteiro do amor” pode ser em outra franquia.

0 comentários :

Postar um comentário

Manda a sua mensagem, solta o verbo, fã da NBA!